Servindo ao Senhor, por onde for...

27/11/2012

 

Atos dos Apóstolos 28.11-15

11 Passados três meses, partimos em um navio de Alexandria que invernara na ilha, o qual tinha por insígnia Dióscuros.
12 E chegando a Siracusa, ficamos ali três dias;
13 donde, costeando, viemos a Régio; e, soprando no dia seguinte o vento sul, chegamos em dois dias a Putéoli,
14 onde, achando alguns irmãos, fomos convidados a ficar com eles sete dias; e depois nos dirigimos a Roma.
15 Ora, os irmãos da lá, havendo recebido notícias nossas, vieram ao nosso encontro até a praça de Ápio e às Três Vendas. E Paulo, quando os viu, deu graças a Deus e cobrou ânimo.


A viagem continua. Depois de 3 meses, eles seguem o caminho. Muitos poderiam pensar que esse tempo era suficiente para uma fuga, para armar uma situação e quem sabe se não fosse por conta das histórias vividas na viagem e o testemunho de Paulo, talvez tivesse acontecido! Mas Paulo teve a chance de permanecer por três meses em um lugar, seguiu caminho, indo por vários outros lugares, até encontrar um grupo de irmãos que convidaram para permanecer alguns dias. Nem parece a viagem de um prisioneiro! Parece turismo ou uma viagem missionária mesmo! Mas é claro que Paulo poderia passar, como qualquer ser humano, por um momento de esgotamento ou algo parecido, o que parece ter acontecido, pois quando encontra irmãos de Roma que vão visitar onde eles estão antes de lá chegar, diz o texto que Paulo cobrou o ânimo.

Pensamos nos personagens bíblicos sempre quase como "super" e não notamos as angústias, as crises ou até mesmo alguns erros, que qualquer ser humano comete. Quando conseguimos ver essa questão da humanidade mesmo nos personagens Bíblicos, conseguimos notar que a mensagem do Evangelho pode ser vivida por todos mesmo. E que eles não eram melhores ou piores, eram servos do Senhor como nós podemos e devemos ser.

Assim, que possamos, mesmo no meio das angústias, encontrar o alento que o Senhor nos dá em cada situação. Observe: mesmo nos momentos de mais angústia, se você notar com calma, verá que sempre algo acontece no meio de tudo para trazer alento. Não há provação que não possamos suportar e mesmo nas mais sérias, o Senhor mesmo nos dá a forma de escapar! Paulo, preso, tendo vivido a experiência de um naufrágio, talvez tenha perdido um pouco da alegria por ver que "Roma" ainda parecia longe, pois sempre havia mais o que fazer pelo caminho, e ele entendia que era para lá que deveria ir. Mas o Senhor "trouxe Roma" até Paulo, com a visita de algumas pessoas, para ele notar que faltava pouco. E que enquanto seguia no caminho, era para ir fazendo a obra. Que possamos seguir pelo caminho que temos que trilhar a cada dia, cuidando de cada afazer que temos, sem descuidar do cuidado com a Obra do Senhor por onde quer que tenhamos a chance de ir!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 27/11/12 por e-mail.