Realizando pelo caminho

20/11/2012

 

Atos dos Apóstolos 28.7-10

7 Ora, nos arredores daquele lugar havia umas terras que pertenciam ao homem principal da ilha, por nome Públio, o qual nos recebeu e hospedou bondosamente por três dias.
8 Aconteceu estar de cama, enfermo de febre e disenteria, o pai de Públio; Paulo foi visitá-lo, e, havendo orado, impôs-lhe as mãos, e o curou.
9 Feito isto, vinham também os demais enfermos da ilha e eram curados;
10 e estes nos distinguiram com muitas honras; e, ao embarcarmos, puseram a bordo as coisas que nos eram necessárias.


Muitas pessoas pensam que só quando estão estabilizadas é que podem fazer a obra do Senhor. Acham que só quem é destacado para determinada obra deve fazer ao chegar no lugar para onde vai. Mas Paulo nos mostra que, mesmo preso, de caminho para Roma, para encaminhar sua situação, sabendo que o lugar que tem que ir é Roma (vimos isso em várias semanas: Paulo tinha claro que deveria ir para Roma), depois de um naufrágio, ainda assim ele realiza a obra no local por onde passou.

Principalmente no que diz respeito ao evangelismo e a questão de missões, precisamos dar essa atenção. No caso, Paulo orou por um doente e depois, outros procuraram a cura também. Talvez façamos isso, de passagem, para outra responsabilidade: orar por alguém. Mas muitos pensam que para ser missionário é preciso se dedicar tempo integral na obra e até ir para lugares mais longe! Existem os que vão fazer isso, mas o projeto missionário não começa "nos confins da terra", mas em "Jerusalém" (Atos dos Apóstolo 1.8).

Que possamos entender que somos todos missionários. Como testemuhas do Senhor por onde quer que vamos, que possamos evangelizar com pregações e também com nosso testemunho! Muitos acabam evangelizando sem dizer uma única palavra de um texto Bíblico, apenas vivendo e testemunhando já causam impacto! E outros falam muito, mas o testemunho muitas vezes nega no trabalho, na escola e em tantos outros lugares por onde passamos. Que possamos ter um equilíbrio entre o que pregamos e o que vivemos. E que possamos evangelizar em todos os lugares, por onde passarmos, na padaria, na rua de casa, dentro de casa mesmo e, quem sabe, indo para os lugares mais distantes também. Mas como escrevi, alguns irão para outros lugares, mas a maioria deve mesmo evangelizar pelo caminho que fazem no dia a dia. Que como Paulo possamos aproveitar todas as oportunidades que o Senhor nos der de abençoar e pregar o Evangelho, quer com testemunho, com pregações, estudos, orações ou como nos permitir o Senhor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 20/11/12 por e-mail.