O Senhor cumpre!

02/08/2012

 

Esdras 1

1 No primeiro ano de Ciro, rei da Pérsia, para que se cumprisse a palavra do Senhor proferida pela boca de Jeremias, despertou o Senhor o espírito de Ciro, rei da Pérsia, de modo que ele fez proclamar por todo o seu reino, de viva voz e também por escrito, este decreto:
2 Assim diz Ciro, rei da Pérsia: O Senhor, Deus do céu, me deu todos os reinos da terra, e me encarregou de lhe edificar uma casa em Jerusalém, que é em Judá.
3 Quem há entre vós de todo o seu povo (seja seu Deus com ele) suba para Jerusalém, que é em Judá, e edifique a casa do Senhor, Deus de Israel; ele é o Deus que habita em Jerusalém.
4 E todo remanescente, seja qual for o lugar em que é peregrino, seja ajudado pelos homens desse lugar com prata, com ouro, com bens e com animais, afora a oferta voluntária para a casa de Deus, que está em Jerusalém.
5 Então, se levantaram os chefes das casas paternas de Judá e Benjamim e os sacerdotes, e os levitas, todos aqueles cujo espírito Deus despertara, para subirem a edificar a casa do Senhor, que está em Jerusalém.
6 E todos os seus vizinhos os ajudaram com utensílios de prata, com ouro, com bens, com animais e com coisas preciosas, afora tudo o que se ofereceu voluntariamente.
7 Também o rei Ciro tirou os utensílios que pertenciam à casa do Senhor e que Nabucodonosor tinha trazido de Jerusalém e posto na casa de seus deuses.
8 Ciro, rei da Pérsia, tirou-os pela mão de Mitredate, o tesoureiro, que os entregou contados a Sesbazar, príncipe de Judá.
9 Este é o número deles: Trinta bacias de ouro, mil bacias de prata, vinte e nove incensários,
10 trinta taças de ouro, quatrocentas e dez taças de prata e mil outros utensílios.
11 Todos os utensílios de ouro e de prata foram cinco mil e quatrocentos; todos estes levou Sesbazar, quando os do cativeiro foram conduzidos de Babilônia para Jerusalém.


O povo foi levado ao exílio, o Templo foi destruído, havia muito o que corrigir na vida de cada pessoa. Mesmo assim, o Senhor usou o profeta Jeremias para declarar a volta para casa! Afinal, o tempo do Exílio não era para durar a eternidade. Era para o Senhor tratar com o povo, chamar cada um à obediência, mostrar Sua bondade mesmo no meio da dificuldade, e mostrar também Sua misericórdia, afinal, com erros o povo poderia ser apenas punido, mas o Senhor queria cuidar desse povo e abençoá-lo. Por isso, o tempo do exílio foi tempo de tratamento.

Muitos não acreditavam que o exílio iria acontecer. Eles ouviram histórias do cuidado do Senhor para com o povo no passado e acreditavam que isso iria continuar. Mas de forma arrogante... Não era por temor e tremor, por amor e por vontade de servir ao Senhor, mas porque entendiam que seriam cuidados de qualquer forma.

O exílio foi inevitável. Muitas vezes passamos por dificuldades para que o Senhor nos mostre o melhor caminho. No caso do povo hebreu, houve um erro, deixar a vontade do Senhor, deixar de obedecer. Mas, muitas vezes, nem mesmo há erros a serem corrigidos! Apenas o Senhor quer nos mostrar o melhor. Por isso, devemos estar submissos à vontade do Senhor. Afinal, quando erramos, até vemos motivos para passar por determinadas dificuldades, nos "conformamos" diante do quadro. Mas quando não há erro, precisamos entender o propósito do Senhor para que possamos sempre experimentar o melhor, quer nos bons momentos, quer nos maus momentos.

O texto de hoje fala sobre a volta pra casa. Talvez alguns acreditassem no que dissera Jeremias. Outros, talvez achassem um absurdo. Mas a incredulidade do ser humano não altera o propósito do Senhor. Se havia quem foi tratado e que seguiria Sua vontade, o Senhor iria trazer o povo de volta pra casa.

Pode passar muito tempo. Mas se deixarmos o Senhor agir, veremos sempre o melhor. Afinal, para o Senhor o que existe é a eternidade. Ele criou o tempo e não está limitado a ele. Para nós, pode passar muito tempo. Mas para o Senhor, isso não existe. Por isso, ainda que pareça demorado, o Senhor fará na melhor hora, pode ter certeza!

Ele prometeu ao povo, através do profeta, e cumpriu. E fará o mesmo em relação a você e a mim. Nenhum dos planos do Senhor pode ser frustrado, independente de nossa capacidade de "atrapalhar". Chegará o momento em que o Senhor fará cumprir Sua vontade. Assim, o melhor é deixar Ele agir e mostrar o melhor caminho. Nos poupará chateações por seguirmos por caminhos errados...

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 02/0812 por e-mail.