Exemplo de perseverança

31/05/2012

 

Rute 4.13-17

13 Assim, tomou Boaz a Rute, e ela lhe foi por mulher; ele a conheceu, e o Senhor permitiu a Rute conceber, e ela teve um filho.
14 Disseram, então, as mulheres a Noemi: Bendito seja o Senhor, que não te deixou hoje sem remidor; e torne-se o seu nome afamado em Israel.
15 Ele será restaurador da tua vida, e consolador da tua velhice, pois tua nora, que te ama, o deu à luz; ela te é melhor do que sete filhos.
16 E Noemi tomou o menino, pô-lo no seu regaço, e foi sua ama.
17 E as vizinhas deram-lhe nome, dizendo: A Noemi nasceu um filho. E chamaram ao menino Obede. Este é o pai de Jessé, pai de Davi.


Ao ler o livro de Rute, penso rapidamente na palavra perseverança. Vejamos a história:

Uma família em Israel, pai, mãe e dois filhos, durante o tempo dos juízes, resolve mudar, por conta de problemas, hoje diríamos financeiros. Partem em busca de uma nova oportunidade. Depois de estabelecidos, o pai morre. A mãe fica com seus dois filhos, que se casam. Mas, depois de um tempo, os filhos também morrem. Era um tempo complicado para as mulheres. Alguns acham hoje complicado, imagino como era em uma sociedade patriarcal, onde o homem comandava tudo! Na ausência do pai, o filho cuidava de tudo. Mas na ausência do filho, tudo se complicava. Era necessário que alguém tomasse posição como remidor. Só que isso na Lei judaica e esta família deixou Israel no começo do relato...

Noemi recebe notícias de que as coisas estavam melhores em sua terra e resolve voltar. Talvez pudesse ter uma chance ou, ao menos, encontrar um remidor. Com problemas na terra, seria difícil alguém ajudar ou assumir uma responsabilidade com relação a ela. Mas diante da melhora de condições, poderia ser mais fácil alguém cumprir a lei. Quando ela começa sua viagem de volta, as noras e também viúvas resolvem ir com ela. Noemi as despede, com medo de não ter como sustentar nem mesmo a si, quanto mais outras pessoas. Ela estava perseverando diante da adversidade, pois primeiro saiu em família busca outras oportunidades e agora voltava, mesmo com todos os seus problemas, na expectativa de ainda viver algo novo. Não nega sua situação de problema (tanto que pede para chamá-la por outro nome, Mara, representando seu momento), mas não desistiu!

Das noras viúvas que a acompanhavam, apenas Rute resolve seguir com ela, mesmo sabendo que a expectativa poderia nem mesmo se cumprir e a situação ser realmente ruim. Mas Rute persevera do lado da sogra, mesmo contra as circunstâncias, e resolve agir como filha, obedecendo em todos os detalhes. Agora, Rute está em uma terra estranha, não é "sua casa" e para poder fazer daquele novo local seu lar, prefere obedecer sua sogra. Perseverou diante da adversidade e foi obediente. Até que, como sabemos da história, um remidor de Noemi aparece e, mesmo tendo outro parente mais próximo e, então, o responsável direto diante da lei, começa a acertar todas as coisas para ajudar Noemi e Rute. E, diante da negativa do remidor mais próximo, assume o cuidado de Noemi, casa com Rute, e ainda levanta a descendência, pois o filho que nasce é tido como o restaurador da alegria de Noemi, que deixa de ser amarga e volta realmente a se alegrar.

Fico imaginando o que seria dessa história se a família tivesse medo de deixar seu espaço para ir atrás de outras possibilidades em outro lugar. Não entraria a Rute nessa história! Se a família tivesse desanimado logo no começo, a história seria outra e nem temos como imaginar. E se diante da morte de marido e filhos Noemi tivesse desistido, achasse uma vergonha voltar daquela forma, afinal tinha ido em busca de algo melhor e estava em situação mais complicada ainda, Rute não teria voltado com ela. E onde entraria Boaz nessa história? Se essas mulheres não tivessem perseverado diante da adversidade, simplesmente o avô do grande rei Davi poderia nem ter nascido!

Então, siga esse exemplo! Não desanime diante das dificuldades. Não precisa negar que elas existam, mas não desanime. Alguns acham que negando o problema demonstram fé, mas a fé é demonstrada no ato de seguir em frente, confiando que o Senhor irá direcionar o caminho! Não é apenas seguir em frente, mas acreditar que Deus pode mudar aquela história. Ao perseverar diante da adversidade (reconhecendo-a e lutando, mesmo que alguns dias sejam mais difíceis que outros, mas lutando por mudança, fazendo a mudança e não apenas esperando isso), podemos experimentar o melhor de Deus em nossa vida. Não pense apenas que as dificuldades são grandes. Olhe para essas grandes dificuldades e tenha certeza que o Deus que você crê é maior que qualquer dificuldade. Mantenha sua posição! Não desista diante da adversidade. Não negue a crise, a chateação, até mesmo o medo! Mas confie, viva de acordo com a vontade de Deus, se for necessário, como Noemi, mude (ela muda a primeira vez com a família para outro lugar e depois, volta, mesmo que só, acompanhada apenas da nora) e experimente no tempo certo o melhor de Deus para você. Saiba que até no meio da dificuldade Ele te dará forças! E logo você chegará no melhor que Ele tem para você. Tenha perseverança! Não desista e creia que Deus tem o melhor para você.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 31/05/12 por e-mail.