Somos chamados para apaziguar

18/04/2012


A resposta branda desvia o furor, mas a palavra dura suscita a ira - Provérbios 15.1


Nem sempre é simples. Nem sempre é fácil. Parece que endurecer e tentar marcar território é mais importante. Parece que algumas pessoas "pedem" uma resposta mais dura. Talvez alguns momentos até chamem de nós essa necessidade, mas, mesmo nos momentos que a resposta precisa ser mais dura, ainda assim devemos tomar cuidado para não ir "além da conta". Muitas são as oportunidades que perdemos em nossos relacionamentos, sejam eles no matrimônio, na fé, na família ou com as outras pessoas, de abrandar situações difíceis...

Estamos sujeitos a momentos em que a ira toma conta, mas não devemos usar desse artifício para pecarmos contra o nosso próximo. Ficar "bravo" não é o problema! A questão é saber dosar essa raiva no momento certo, da forma certa, com a pessoa certa e apenas na medida certa. É preciso ter tato ao falar, quer dizer, conseguir agir até mesmo de forma dura se for necessário e dependendo do caso, mas sem ofender! Ter tato é saber expor seu ponto de vista sem que isso venha a provocar algum tipo de ira ou inimizade. Claro que a outra pessoa pode estar pré-disposta por razões alheias a algum tipo de ira ou até mesmo a uma incapacidade de entender. Aí, claro, fica mais complicado! Por isso, precisamos dosar, levando em conta também que o outro pode se ofender até mesmo por não entender exatamente o que estamos apresentando. Não podemos ser culpados por conta de problemas extras que a pessoa tenha, mas se pudermos evitar "maiores problemas", esse é o ideal!

Que saibamos transmitir nossos pensamentos e ideias de forma a apaziguar e com sabedoria para ganharmos a todos e ter a aprovação de Deus. E que nos momentos que a pré-disposição do outro encaminhe de forma diferente, que tenhamos a sabedoria de tentar reverter o quadro, não apenas entregar o outro ao seu entendimento errado. Insisto que não podemos ser culpados do que o outro não quer mudar, mas que possamos ao menos fazer o possível ao nosso alcance para ajudar!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor



Esta meditação foi enviada em 18/04/12 por e-mail.