Mudar

22/03/2012

 

Esdras 10

1 Ora, enquanto Esdras orava e fazia confissão, chorando e prostrando-se diante da casa de Deus, ajuntou-se a ele, de Israel, uma grande congregação de homens, mulheres, e crianças; pois o povo chorava amargamente.
2 Então Seeanias, filho de Jeiel, um dos filhos de Elão, dirigiu-se a Esdras, dizendo: Nós temos sido infiéis para com o nosso Deus, e casamos com mulheres estrangeiras dentre os povos da terra; contudo, no tocante a isto, ainda há esperança para Israel.
3 Agora, pois, façamos um pacto com o nosso Deus, de que despediremos todas as mulheres e os que delas são nascidos, conforme o conselho do meu Senhor, e dos que tremem ao mandamento do nosso Deus; e faça-se conforme a lei.
4 Levanta-te; pois a ti pertence este negócio, e nós somos contigo; tem bom ânimo, e faze-o.
5 Então, Esdras se levantou e ajuramentou os principais dos sacerdotes, os levitas, e todo o Israel, de que fariam conforme esta palavra; e eles juraram.
6 Em seguida Esdras se levantou de diante da casa de Deus, e entrou na câmara de Joanã, filho de Eliasibe; e, chegando lá, não comeu pão, nem bebeu água, porque pranteava por causa da infidelidade dos do cativeiro.
7 E fizeram passar pregão por Judá e Jerusalém, a todos os que vieram do cativeiro, para que se ajuntassem em Jerusalém;
8 e que todo aquele que dentro de três dias não viesse, segundo o conselho dos oficiais e dos anciãos, toda a sua fazenda se pusesse em interdito, e fosse ele excluído da congregação dos que voltaram do cativeiro.
9 Pelo que todos os homens de Judá e de Benjamim dentro de três dias se ajuntaram em Jerusalém. Era o nono mês, aos vinte dias do mês; e todo o povo se assentou na praça diante da casa de Deus, tremendo por causa deste negócio e por causa das grandes chuvas.
10 Então, se levantou Esdras, o sacerdote, e disse-lhes: Vós tendes transgredido, e casastes com mulheres estrangeiras, aumentando a culpa de Israel.
11 Agora, pois, fazei confissão ao Senhor, Deus de vossos pais, e fazei o que é do seu agrado; separai-vos dos povos das terras, e das mulheres estrangeiras.
12 E toda a congregação respondeu em alta voz: Conforme as tuas palavras havemos de fazer.
13 Porém o povo é muito; também é tempo de grandes chuvas, e não se pode estar aqui fora. Isso não é obra de um dia nem de dois, pois somos muitos os que transgredimos neste negócio.
14 Ponham-se os nossos oficiais por toda a congregação, e todos os que em nossas cidades casaram com mulheres estrangeiras venham em tempos apontados, e com eles os anciãos e juízes de cada cidade, até que se desvie de nós o ardor da ira do nosso Deus no tocante a este negócio.
15 (Somente Jônatas, filho de Asael, e Jazeías, filho de Ticvá, se opuseram a isso; e Mesulão, e Sabetai, o levita, os apoiaram.)
16 Assim o fizeram os que tornaram do cativeiro: foram indicados o sacerdote Esdras e certos homens, cabeças de casas paternas, segundo as suas casas paternas, cada um designado por nome; e assentaram-se no primeiro dia do décimo mês, para averiguar este negócio.
17 E no primeiro dia do primeiro mês acabaram de tratar de todos os homens que tinham casado com mulheres estrangeiras.
18 Entre os filhos dos sacerdotes acharam-se estes que tinham casado com mulheres estrangeiras: dos filhos de Jesuá, filho de Jozadaque, e seus irmãos, Maaséias, Eliézer, Jaribe e Gedalias.
19 E deram a sua mão, comprometendo-se a despedirem suas mulheres; e, achando-se culpados, ofereceram um carneiro do rebanho pela sua culpa.
20 Dos filhos de Imer: Hanani e Zebadias.
21 Dos filhos de Harim: Maaséias, Elias, Semaías, Jeiel e Uzias.
22 E dos filhos de Pasur: Elioenai, Maaséias, Ismael, Netanel, Jozabade e Elasa.
23 Dos levitas: Jozabade, Simei, Quelaías (este é Quelita) , Petaías, Judá e Eliézer.
24 Dos cantores: Eliasibe. Dos porteiros: Salum, Telem e Uri.
25 E de Israel, dos filhos de Parós: Ramias, Izias, Malquias, Miamim, Eleazar, Hasabias e Benaías.
26 Dos filhos de Elão: Matanias, Zacarias, Jeiel, Abdi, Jerimote e Elias.
27 Dos filhos de Zatu: Elioenai, Eliasibe, Matanias, Jerimote, Zabade e Aziza.
28 Dos filhos de Bebai: Joanã, Hananias, Zabai e Atlai.
29 Dos filhos de Bani: Mesulão, Maluque, Adaías, Jasube, Seal e Jerimote.
30 Dos filhos de Paate-Moabe: Adná, Quelal, Benaías, Maaséias, Matanias, Bezaleel, Binuí e Manassés.
31 Dos filhos de Harim: Eliézer, Issijá, Malquias, Semaías, Simeão,
32 Benjamim, Maluque e Semarias.
33 Dos filhos de Hasum: Matenai, Matatá, Zabade, Elifelete, Jeremai, Manassés e Simei.
34 Dos filhos de Bani: Maadai, Anrão e Uel,
35 Benaías, Bedéias, Queluí,
36 Vanias, Meremote, Eliasibe,
37 Matanias, Matenai e Jaasu.
38 Dos filhos de Binuí: Simei,
39 Selemias, Natã, Adaías,
40 Macnadbai, Sasai, Sarai,
41 Azarel, Selemias, Semarias,
42 Salum, Amarias e José.
43 Dos filhos de Nebo: Jeiel, Matitias, Zabade, Zebina, Jadai, Joel e Benaías.
44 Todos estes tinham tomado mulheres estrangeiras; e se despediram das mulheres e dos filhos.



Este é o capítulo final do livro de Esdras. O livro segue desde o começo com a preocupação em fazer a coisa certa. Desde a tentativa de retorno do povo, passando pela viagem de retorno, os eventos, até o final do livro, quando o povo coloca em ordem mais um mandamento do Senhor: não se unir com o povo estrangeiro da terra. Era uma ordem antiga, desde a chegada na Terra Prometida e que tinha sido deixada de lado por muitos, pelo que vemos no texto acima.

A desobediência ao querer do Senhor levou o povo ao exílio. E agora, quando voltam, a preocupação é seguir com cuidado a vontade do Senhor. Desde os mínimos detalhes, como já escrevi, até mesmo levando em conta o caminho de volta e as observações necessárias para que as coisas estivessem em ordem. Mas ainda há algo que precisa ser acertado: o casamento que foi realizado por muitos. A união com os povos da terra estrangeira era algo que o povo não deveria fazer. Mas fez!

O que fazer diante de uma situação assim: seguir no erro ou buscar o ajuste? O povo sabia as consequências de seguir no erro.

Envolvia família, crianças, sentimentos, vidas. O que fazer? Muitas vezes tentamos achar explicações para legitimar erros. Talvez todos tivessem razões de sobra para chegar ao entendimento que não podiam mandar embora aquelas pessoas. Quem sabe poderiam fechar um acordo de seguir em frente fazendo o certo, mas poderiam entender que seria cruel para o sentimento e para as pessoas simplesmente mandar aquele povo embora! Ainda assim, pesando na balança, preferiram fazer a vontade do Senhor. E nós devemos fazer o mesmo: nada pode nos atrapalhar de realizar a vontade do Senhor. Ainda que seja difícil, temos que buscar a vontade do Senhor. Sinceramente, não deve ter sido fácil nesse caso colocar as coisas em ordem, mas foi feito. E serve de exemplo para nós: ainda que seja difícil, vale a pena colocar as coisas em ordem de acordo com a vontade do Senhor.

O livro de Esdras nos mostra a preocupação com as coisas do Senhor. O ser humano tem sua importância, é claro! Mas esse mesmo ser humano precisa se apresentar para realizar a vontade do Senhor. A importância que temos nos leva para isso: cumprir o querer do Senhor. Lutar por aquilo que pareça complicado, porque se o Senhor revelou que é o caminho a ser seguido, ainda que tenhamos complicações, temos que seguir em frente. Será que foi fácil para Esdras se apresentar ao rei, falar de sua expectativa de retorno, conseguir cada uma das coisas que conseguiu? Ler a história depois do que já aconteceu pode fazer parecer fácil. Mas ter o "coração acelerado" durante os acontecimentos é diferente. Depois, na volta, confiando no cuidado do Senhor, Esdras não pede auxílio de guarda e já começa a acertar as coisas para fazer a vontade o Senhor. Quando chegam, ainda que lutas tenham acontecido, seguiu em frente. E quando foi preciso acertar outros pontos para seguir a vontade do Senhor, ainda que parecesse complicado do ponto de vista humano, Esdras nos mostra também que a maior complicação é deixar a vontade do Senhor de lado. Assim, vemos nesse livro que as lutas e as dificuldades podem aparecer, que pode ser difícil fazer algumas coisas, mas que vale a pena fazer a vontade do Senhor.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 22/03/12 por e-mail.