Tempo de celebração

01/03/2012

 

Esdras 8.31-36

31 Então, partimos do rio Ava, no dia doze do primeiro mês, a fim de irmos para Jerusalém; e a mão do nosso Deus estava sobre nós, e ele nos livrou da mão dos inimigos, e dos que nos armavam ciladas pelo caminho.
32 Chegamos, pois, a Jerusalém, e repousamos ali três dias.
33 No quarto dia se pesou a prata, e o ouro, e os vasos, na casa do nosso Deus, para as mãos de Meremote, filho do sacerdote Urias; e com ele estava Eleazar, filho de Finéias, e com eles os levitas Jozabade, filho de Jesuá, e Noadias, filho de Binuí.
34 Tudo foi entregue por número e peso; e o peso de tudo foi registrado na ocasião.
35 Os exilados que tinham voltado do cativeiro ofereceram holocaustos ao Deus de Israel: doze novilhos por todo o Israel, noventa e seis carneiros, setenta e sete cordeiros, e doze bodes em oferta pelo pecado; tudo em holocausto ao Senhor.
36 Então, entregaram os editos do rei aos sátrapas do rei, e aos governadores a oeste do Rio; e estes ajudaram o povo e a casa de Deus.



Desde a ordem da volta até a chegada, muitas coisas aconteceram. O povo parou para clamar em oração para que o Senhor protegesse pelo caminho, pois eles não queriam a ajuda dos exércitos. Já dedicaram o material do templo aos sacerdotes, antes mesmo de chegarem. Antes disso, se preocuparam com o fato de que precisavam de sacerdotes para acompanhar esse retorno.

Essas e outras situações preparavam o povo para a volta e para buscar a vontade de Deus. Passar a depender da vontade do Senhor, confiando e obedecendo. Algo que ao longo dos anos, desde a saída do Egito, tinha ficado em segundo plano. Até queriam depender, mas obedecer era outra história. Muitas vezes somos assim: queremos a manifestação do milagre ou dos prodígios do Senhor, mas não observamos com cuidado a vontade Dele. Nos apegamos ao que a Bíblia nos revela como Graça e barateamos isso. Paulo mesmo alerta que não é porque temos a graça que podemos abusar do pecado, do erro (Romanos 5 e 6). Para fugir do pecado precisamos ter intimidade com o Senhor, quer para o Espírito nos guiar pelo caminho certo, quer por conhecer a Palavra e praticar a vontade do Senhor. E fazer a vontade do Senhor vai além de fazer o que é certo aos olhos de todos: é saber também o que o Senhor tem especificamente para nós e obedecer!

O povo foi tratado por Deus durante o exílio para que soubesse do cuidado do Senhor e aprendesse a obedecer. Quando estão voltando, antes mesmo de chegar, já se preocupam em buscar, confiar e obedecer. A lição parecia aprendida. Num primeiro momento foi assim. Depois, o erro foi por exagerar em interpretações da lei. Muitos não erraram por deixar de fazer, mas por exagerar! Mas esse não é tema de nossas meditações com base no presente texto de Esdras.

A chegada a Jerusalém é momento de festa. Era hora de descansar da viagem e depois, começar a confirmar a entrega dos bens do Templo e da consagração, da busca por fazer a vontade do Senhor. O presente texto termina com a oferta e a confirmação da ordem da volta sendo entregue aos que estavam por perto.

A festa, a consagração, deve ser real em nosso viver. A festa, porque nos alegramos na presença do Senhor, com Seus feitos e com Sua vontade. A consagração é a nossa busca diária, lendo a Bíblia ou até mesmo outros textos/livros, sem descuidar da Bíblia, oração, participar das atividades da igreja e por aí vai. Como o povo, quando erramos, quando pecamos, nos afastamos do Senhor. O povo se afastou de Jerusalém. Na volta, a alegria foi tremenda. E a vontade de buscar o querer do Senhor foi maior que o desejo pelo pecado. Quando nos afastamos por conta do pecado, precisamos nos acertar com o Senhor, voltar, deixar Ele agir. Tal como naqueles dias, o Senhor agirá em nosso meio. Basta buscarmos Sua vontade e deixarmos Ele agir da melhor forma. Se buscarmos isso, buscarmos Sua presença, Sua vontade e deixarmos Ele agir, veremos muitas coisas boas da parte do Senhor. Ainda veremos dificuldades, é fato, mas teremos do Senhor a força e a direção para enfrentar e sair do problema. Basta confiar e deixar o Senhor agir em nós e através de nós.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 01/03/12 por e-mail.