O registro histórico para comprovar

02/02/2012


Esdras 8.1-14


1 Estes, pois, são os chefes de suas casas paternas, e esta é a genealogia dos que subiram comigo de Babilônia no reinado do rei Artaxerxes:
2 Dos filhos de Finéias, Gérson; dos filhos de Itamar, Daniel; dos filhos de Davi, Hatus;
3 dos filhos de Secanias, dos filhos de Parós, Zacarias; e com ele, segundo as genealogias dos varões, se contaram cento e cinquenta;
4 dos filhos de Paate-Moabe, Elioenai, filho de Zeraías, e com ele duzentos homens;
5 dos filhos de Zatu, Secanias, o filho de Jaaziel, e com ele trezentos homens;
6 dos filhos de Adim, Ebede, filho de Jônatas, e com ele cinquenta homens;
7 dos filhos de Elão, Jesaías, filho de Atalias, e com ele setenta homens;
8 dos filhos de Sefatias, Zebadias, filho de Micael, e com ele oitenta homens;
9 dos filhos de Joabe, Obadias, filho de Jeiel, e com ele duzentos e dezoito homens;
10 dos filhos de Bani, Selomite, o filho de Josifias, e com ele cento e sessenta homens;
11 dos filhos de Bebai, Zacarias, o filho de Bebai, e com ele vinte e oito homens;
12 dos filhos de Azgade, Joanã, o filho de Hacatã, e com ele cento e dez homens;
13 dos filhos de Adonicão, que eram os últimos, eis os seus nomes: Elifelete, Jeuel e Semaías, e com eles sessenta homens;
14 e dos filhos de Bigvai, Utai e Zabude, e com eles setenta homens.


Mais uma vez estamos diante de um texto que cita nomes, de pessoas e famílias (falando da paternidade). Por conta disso, o texto pode permitir a observação histórica. Muitos achados arqueológicos, ao contrário do que se pensava, acabam confirmando os textos Bíblicos e alguns estudiosos já se rendem para fazer a comparação dos eventos que encontram com o que a Bíblia diz, quando fazem suas escavações em locais especificos das histórias da Bíblia. Textos como esse de hoje dão a certeza da verdade histórica de tais eventos e quem faz estudos, escavações e afins, poderá confirmar tal situação. Por mais que para nós esteja claro, principalmente por fé, que os textos são parte da história da humanidade, aqueles que não "vivem por fé" precisam de algo mais e esses textos colaboram com isso.

Ciências e Estudos Arqueológicos sempre parecem trazer ideias de que poderá ser possível desmentir a Bíblia. E quando algo parece ir nesse caminho, ganha ampla repercussão, criando cada vez mais "brigas" entre "fé" e "ciência" ou estudo da "história". Quando a descoberta vai por outro caminho, quer dizer, confirmando o texto Bíblico, some a tal repercussão...

Não vejo uma "briga" entre ciência, fé e história. Vejo que é possível o encontro, quando cada área não tenta desmentir a outra, mas colaborar com a fonte de conhecimento. E, pelo texto de hoje, vemos que é importante fazer registros históricos de eventos, pessoas e momentos, para que a história possa contar realmente como aconteceu para os que ainda virão, até que o Senhor venha.

Assim, não entre na "pilha" da tentativa de desmentir história, fé ou ciência. Se a pesquisa for feita da forma correta, os pontos de convergência podem ajudar a entender cada vez mais as coisas do Senhor. A Natureza fala sobre Ele. A História fala sobre Ele. A ciência fala sobre Ele, quando não tenta negar Sua existência, claro!

Que o Senhor possa se revelar em tudo, como quiser e que nós possamos dar a devida importância aos registros históricos, já que eles podem ajudar em nossa pregação, pois muitos já confirmam que os textos Bíblicos são historicamente muito exatos! Não é "história de conto de fadas" ou "devaneio de alguns". A Bíblia é um livro que comprova e se comprova historicamente. Para avançar no entendimento, é preciso ler com fé e querendo entender coisas espirituais, claro, mas as confirmações históricas dão testemunhos da realidade de coisas que não se podem ver, que avançamos por fé.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 02/02/12 por e-mail.