Saber o que deve ser feito

03/01/2012

 

Atos dos Apóstolos 21.1-6

1 E assim, aconteceu que, separando-nos deles, navegamos e, correndo em direitura, chegamos a Cós, e no dia seguinte a Rodes, e dali a Pátara.
2 Achando um navio que seguia para a Fenícia, embarcamos e partimos.
3 E quando avistamos Chipre, deixando-a à esquerda, navegamos para a Síria e chegamos a Tiro, pois o navio havia de ser descarregado ali.
4 Havendo achado os discípulos, demoramo-nos ali sete dias; e eles pelo Espírito diziam a Paulo que não subisse a Jerusalém.
5 Depois de passarmos ali aqueles dias, saímos e seguimos a nossa viagem, acompanhando-nos todos, com suas mulheres e filhos, até fora da cidade; e, postos de joelhos na praia, oramos,
6 e despedindo-nos uns dos outros, embarcamos, e eles voltaram para casa.

Paulo está de caminho para Jerusalém. Mas vai "fazendo paradas", escalas. E pelo caminho, não deixa de lado o cuidado missionário. O texto não nos diz quanto tempo durou cada parada, mas fala de uma em especial: em Tiro, onde ficaram por 7 dias.

Durante esse tempo, encontram discípulos. E, claro, aproveitam o tempo para edificação, companheirismo, culto, busca... Não perdem tempo na vivência da mensagem do Evangelho. E Paulo deve ter citado que ia parra Jerusalém. Já era esperado que algo acontecesse com ele por lá. Ele estava certo que era hora de ir e na despedida anterior falou até mesmo em não ter seu rosto visto por aqueles irmãos novamente. Ele já estava preparado para o que viria. E os irmãos de Tiro, recebendo a confirmação do Espírito do que aconteceria, entenderam que deveriam orientar Paulo a não ir para Jerusalém. Mas Paulo já sabia o que o Espírito revelava para aqueles irmãos e mais: entendia que devia enfrentar!

Algumas vezes podemos ser avisados pelo Senhor para evitarmos algo. Outras, podemos ser avisados apenas para sabermos o que nos espera. É preciso discernimento e "sintonia fina" para entender o querer do Senhor. Nem sempre será para enfrentarmos, mas haverá momentos que deveremos enfrentar, mesmo sabendo que não é "algo agradável". Porque nossa vida está nas mãos do Senhor e o testemunho que temos para dar será para exaltar o Nome do Senhor. Ainda que pareça aos nossos olhos "algo ruim", se é a vontade do Senhor, o propósito será cumprido e o Nome do Senhor será glorificado. Que Ele nos inspire para entendermos como devemos agir diante das situações e que Ele nos dê força para que possamos fazer sempre a Sua vontade!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 03/01/12 por e-mail.