Modelo de Oração

12/12/2011

 

7ª parte

e perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores - Mateus 6.12

Muitos irmãos e irmãs pretendem viver como Super-Crentes, com grandes realizações e sem nenhum pecado. Bom... Fazer coisas grandiosas em nome do Senhor é algo que Jesus deixou claro que faríamos, é fato. E buscar a santidade, deixando o pecado, está certo, claro!

Mas vivemos ainda como seres humanos. Há momentos em que não vamos ver coisas grandiosas acontecendo. E por que? Porque dependemos da vontade de Deus. O Senhor não é um gênio da lâmpada que basta esfregar (em nome de Jesus) e então ver as coisas acontecendo. Elas irão acontecer, se tivermos fé, se buscarmos no Senhor e se for a vontade Dele. Logo, não somos nós que fazemos grandes coisas, mas o Senhor em nós e através de nós. Nos dispomos e Ele age!

Além disso, vivemos num mundo onde as tentações acontecem. Ser tentado não é cometer pecado. Jesus foi tentando! O problema é cair na tentação, ceder ao desejo. E, mesmo buscando a vontade do Senhor, muitas vezes caimos nessa tentação.

Jesus começa essa parte da oração deixando claro isso: não somos Super! Somos humanos e precisamos buscar ao Senhor, buscar Seu perdão. O perdão, que revela a misericórdia do Senhor, nos mostra o quanto Ele quer se relacionar conosco. Sem santidade, esse relacionamento não é possível. Então, quando nos arrependemos, somos perdoados e o preço por nosso erro já foi pago por Jesus.

"Perdoa-nos as nossas dívidas". Quer dizer: Não nos deixes devedores do pecado ou por conta dele. Em Jesus há o pagamento! Devemos querer intimidade com o Senhor para poder ouvir a Sua vontade e orar de acordo com Seu querer e aí sim podermos ver coisas grandiosas.

Mas, nessa oração, pedimos perdão para Deus de qualquer forma? Não! A oração nos ensina que devemos perdoar também. Muitos afirmam que perdoar é divino. Se é assim, que risquemos da Bíblia essa parte da oração!

Não caia nessa! Quando alguém erra em relação a nós, somos chamados a perdoar sim! Quem inventou essa história que perdoar é divino quer que nós não desfrutemos do perdão de Deus. Afinal, diz a oração "perdoa-nos as nossas dívidas, assim como nós também temos perdoado aos nossos devedores". Clamamos ao Senhor que nos perdoe da mesma forma que nós perdoamos. Se perdoar é só divino e nós não nos sentimos chamados a perdoar, e Deus nos perdoa da mesma forma que nós perdoamos (quer dizer, segundo tal ideia, nunca), não seremos perdoados!

Qualquer pessoa, você ou eu, pode cometer erros. Mas o Senhor nos chama para o perdão, para perdoar essas pessoas. Mais uma vez a oração modelo mostra a realidade do relacionamento: o relacionamento com Deus, buscando Seu perdão, e com o próximo, perdoando e sendo perdoado quando cometermos erros.

Quando alguém errar com você, lembre-se que a oração modelo deixa claro que clamamos para o Senhor nos perdoar da mesma forma como temos perdoado. Não podemos ser falsos, mentirosos no perdão, pois o Senhor saberá. Com sinceridade, devemos perdoar quem erra contra nós e buscar o perdão quando errarmos. Quando não há perdão, o erro permanece. Quando há o perdão, apesar do erro ter existido, ele não permanece. Foi realidade, aconteceu, mas deixa de incomodar quando há perdão. Quando não há perdão, ele ainda incomoda, não conseguimos seguir no relacionamento com o próximo por conta daquele erro.

Assim, quando nós também perdoarmos as pessoas que estão ao nosso redor, poderemos sentir claramente o perdão de Deus. É fruto de relacionamento e não há relacionamento, em qualquer nível, se não houver perdão.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 12/12/11 por e-mail.