Novos ajustes...

18/10/2011

 

Atos dos Apóstolos 19.1-7

1 E sucedeu que, enquanto Apolo estava em Corinto, Paulo, tendo atravessado as regiões mais altas, chegou a Éfeso e, achando ali alguns discípulos,
2 perguntou-lhes: Recebestes vós o Espírito Santo quando crestes? Responderam-lhe eles: Não, nem sequer ouvimos que haja Espírito Santo.
3 Tornou-lhes ele: Em que fostes batizados então? E eles disseram: No batismo de João.
4 Mas Paulo respondeu: João administrou o batismo do arrependimento, dizendo ao povo que cresse naquele que após ele havia de vir, isto é, em Jesus.
5 Quando ouviram isso, foram batizados em nome do Senhor Jesus.
6 Havendo-lhes Paulo imposto as mãos, veio sobre eles o Espírito Santo e falavam em línguas e profetizavam.
7 E eram ao todo uns doze homens.

Na semana passada, Apolo parecia pregar com muito conhecimento, mas ainda faltava algo. Agora, Paulo encontra um grupo de 12 homens que parece ir no mesmo caminho. Havia conhecimento da mensagem de arrependimento, da promessa, mas não havia ainda um entendimento real de todas as coisas. Não se vivia isso de forma completa, não se sabia que já era realidade e não apenas promessa!

Alguns estudiosos entendem que esse grupo fez parte dos "discípulos de João Batista" e que muitos se espalharam antes mesmo do Batismo de Jesus. Sabiam da promessa, sabiam da necessidade de arrependimento, mas ainda esperavam pelo cumprimento da profecia. Ainda esperavam o Messias. Nos primeiros anos, esse grupo de discípulos de João esperava pelo Messias. Uma boa parte, ao se deparar com a Mensagem do Evangelho, passou a viver no cristianismo. Mas, com o passar dos anos, aqueles que não tiveram conhecimento da mensagem do Evangelho, de que Jesus era o Messias (ou conheceram e não aceitaram), acabaram por achar que o próprio João seria esse messias. Mas naqueles "primeiros dias" de pregação (o tempo desse grupo relatado no texto de hoje), ainda se esperava pelo Messias.

Paulo, então, anuncia que o Batismo ia além da questão do arrependimento, pregada por João. Havia a dimensão da união espiritual com Jesus, o testemunho de que entendia a Mensagem e que queria fazer parte do povo que recebia a confirmação da Profecia. Por isso fala do Batismo no Espírito Santo, tão confundido com a necessidade de falar em línguas, mas que, neste texto mesmo, se apresenta tanto no falar em línguas, como em profecia, mostrando que esse Batismo vai além. Outros textos de Paulo confirmam isso, mas nosso texto hoje é o de Atos.

Que possamos, como Paulo, notar o que precisa de mudança total e o que precisa apenas de algumas correções naquilo que tem sido pregado. Que possamos ajudar as pessoas a entenderem a grandiosidade da Mensagem do Evangelho, para que elas saibam que a profecia de que o Espírito Santo seria derramado sobre toda carne é uma realidade em nossos dias, desde o Pentecostes. E assim, que possamos crescer no conhecimento da mensagem, na pregação e que o Nome do Senhor seja conhecido (mais que de ouvir falar, mas de com Ele andar) e louvado em todos os lugares!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 18/10/11 por e-mail.