Somos chamados para ser como crianças

12/10/2011


Mateus 18.1-5


1 Naquela hora, chegaram-se a Jesus os discípulos e perguntaram: Quem é o maior no reino dos céus?
2 Jesus, chamando uma criança, colocou-a no meio deles,
3 e disse: Em verdade vos digo que se não vos converterdes e não vos fizerdes como crianças, de modo algum entrareis no reino dos céus.
4 Portanto, quem se tornar humilde como esta criança, esse é o maior no reino dos céus.
5 E qualquer que receber em meu nome uma criança tal como esta, a mim me recebe.


Jesus não nos manda ser infantis! Mas diz que devemos ser como crianças. Ainda que adultos, com as preocupações do "mundo dos adultos", espiritualmente devemos ser como crianças. Como uma criança pronta a aprender. Que confia no cuidado do pai. Que continua com uma certa dose de pureza diante das coisas. No "mundo dos adultos" essa "pureza" pode ser complicada, diante das coisas que acontecem, mas precisamos manter uma dose disso!

É claro que não devemos ser bobos! Aliás, acho que uma criança pode ter muitas virtudes e qualidades, mas nunca terá essa questão de ser "boba". Devemos manter nossa vida como "adultos", mas sem perder a alegria de uma criança pronta a atender e aprender. Confiando no cuidado do nosso Pai, mesmo diante de perigos. Prontos a "pular" ao Seu chamado! Sem preocupações com as consequências, pois se o Pai chamou, Ele mesmo vai tomar conta e cuidado de nós!

Que possamos ser como crianças, confiando no Senhor, atendendo ao Seu chamado e sabendo que, mesmo no meio da maior dificuldade, podemos contar com Seu cuidado, apoio e presença! Tal qual um filho sabe, mesmo diante de uma dificuldade, que pode esperar pelo pai, que possamos saber esperar pelo Senhor, mesmo diante das situações mais adversas! E que possamos notar que, no meio das adversidades, o Senhor prepara situações e pessoas para nos ajudar! Que não percamos a chance de ter isso por conta do fato de "sermos adultos". Que possamos experimentar o cuidado do Senhor, através de situações ou pessoas que Ele mesmo prepara para fazer parte de nosso caminho, "como crianças", discernindo esse cuidado, não deixando que o "mundo dos adultos" e que as situações ou pessoas que não estão nos ajudando nos tirem a certeza que esse cuidado de Pai por parte do Senhor existe e se manifesta a nós!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor



Esta meditação foi enviada em 12/10/11 por e-mail.