Tristeza ou Alegria? Louvor ao Senhor!

18/08/2011


Esdras 3.8-13


8 Ora, no segundo ano da sua vinda à casa de Deus em Jerusalém, no segundo mês, Zorobabel, filho de Sealtiel, e Jesuá, filho de Jozadaque, e os outros seus irmãos, os sacerdotes e os levitas, e todos os que vieram do cativeiro para Jerusalém, deram início à obra e constituíram os levitas da idade de vinte anos para cima, para superintenderem a obra da casa do Senhor.
9 Então, se levantaram Jesuá com seus filhos e seus irmãos, Cadmiel e seus filhos, os filhos de Judá, como um só homem, para superintenderem os que faziam a obra na casa de Deus; como também os filhos de Henadade, com seus filhos e seus irmãos, os levitas.
10 Quando os edificadores lançaram os alicerces do templo do Senhor, os sacerdotes trajando suas vestes, apresentaram-se com trombetas, e os levitas, filhos de Asafe, com címbalos, para louvarem ao Senhor, segundo a ordem de Davi, rei de Israel.
11 E cantavam alternadamente, louvando ao Senhor e dando-lhe graças com estas palavras: Porque ele é bom; porque a sua benignidade dura para sempre sobre Israel. E todo o povo levantou grande brado, quando louvaram ao Senhor, por se terem lançado os alicerces da casa do Senhor.
12 Muitos, porém, dos sacerdotes e dos levitas, e dos chefes das casas paternas, os idosos que tinham visto a primeira casa, choraram em altas vozes quando, a sua vista, foi lançado o fundamento desta casa; também muitos gritaram de júbilo;
13 de maneira que não podia o povo distinguir as vozes do júbilo das vozes do choro do povo; porque o povo bradava em tão altas vozes que o som se ouvia de mui longe.

 
A organização continua. Alguns se levantam para o trabalho, outros são destacados. E o trabalho segue a todo vapor!
 
Entendo que o ponto central deste texto é o lançamento do alicerce do templo. Havia muita coisa para reconstruir. Uma cidade inteira! E neste momento, o cuidado com o templo é observado. Com o tempo, algo se perdeu desse cuidado e o Senhor vai levantar profetas para lembrar de que essa reconstrução é importante, mas deixemos isso para o devido tempo. Aqui, a preocupação era com a reconstrução do templo e o trabalho começa.

Cânticos de louvor, frases de júblio e choro de tristeza são ouvidos. Mas... por que sentimentos conflitantes, como júbilo e tristeza se misturam aqui? Os que choravam, lembravam do que existia antes, as lembranças do que aconteceu se tornaram vivas e, claro, havia uma perplexidade pelo que houve e também um sentimento de tristeza por não ter ali o templo. Era apenas o começo. Se eles tivessem observado a vontade do Senhor antes, não precisavam passar por um momento daqueles. Então, havia também um arrependimento misturado a tudo isso. E os mais novos, que viveram o sofrimento do Exílio e que conheciam a história de antes de ouvir e não de viver, estavam mais alegres, pois era momento de virar uma página. Aprendemos, com isso, que há lembranças que precisam ser respeitadas e entendidas. Por mais que não tenhamos passado por sentimentos iguais, precisamos saber respeitar o momento do outro. E no fim, todos queriam agradecer a Deus porque daquele momento em diante, a história poderia ser outra, mesmo que as lembranças fizessem com que a expressão parecesse conflitante. Logo, mesmo que conflitantes na forma de expressar, todos queriam agradecer a Deus porque era hora de um novo momento. Na vida em comunidade, isso acontece muito! Que possamos saber diferenciar o que é erro do que é apenas uma forma diferente de expressar a mesma coisa que fazemos, diante do Senhor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 18/08/11 por e-mail.