Oração - exercício espiritual

18/04/2011

 

A meditação que segue tem como base uma parte do livro Ocupado demais para deixar de orar, de Bill Hybels, além, é claro, se observações pessoais:

Muitas vezes queremos receber as bênçãos de Deus, mas não nos esforçamos por alcançá-las. Esperemos que Ele se manifeste, mas não O buscamos (buscai e achareis)... Ou ainda nos prendemos a métodos que entendemos como de sucesso e queremos alcançar a Deus através desses métodos.

O problema é que muitas vezes exageramos ou numa postura ou na outra e perdemos a chance de alcançar essas bênçãos que tanto esperamos...

Nosso corpo precisa de exercícios. Se tivermos um histórico familiar de problemas cardíacos ou de obesidade e não nos esforçarmos contra essa possibilidade, poderemos ser alcançados por essas doenças.

Certo homem foi interrogado por um amigo. Ele tinha perdido seu pai repentinamente, por conta de um ataque cardíaco. O questionamento girou em torno da questão da morte prematura e repentina do pai, algo que poderia ter causado surpresa ao filho. A resposta foi: “Sim e não”. Sim, pois a notícia foi muito repentina. Não, pois o pai tinha problemas cardíacos e não se cuidava, não fazia exercícios, seu ritmo de trabalho era exagerado, comia muita comida oleosa... Não se cuidou e o que realmente poderia acontecer era a morte prematura e repentina por conta dos cuidados não tomados... Assim, a surpresa não poderia ser tão grande assim.

Outro homem, desempregado, dizia não ter paz em seu coração e queria alcançar essa paz que tanto o pastor falava. Mas ele dizia não ter tempo para orar, nem para ir muito à igreja. Queria uma fórmula mágica, uma varinha de condão, para resolver seu problema, mas não queria se dedicar.

Mas há aqueles que exageram na piedade e fazem parecer sempre que estão em constante busca. Sobre esses, Jesus já nos disse que deveríamos agir diferente deles...

Assim, precisamos tomar cuidado com nossa vida de oração, de busca. Orar é um exercício que precisa ser praticado, mas em doses certas, de maneira certa. Vejamos Mateus 6.5-13:

Regularmente – não podemos deixar de orar! “Quando” e não “Se”...
Em Particular – não adianta nada termos uma aparência na comunidade de quem é piedoso e que busca ao Senhor, mas quando estamos sozinhos, não buscamos ao Senhor! “Entra no teu quarto”...
Com Sinceridade – o Senhor está preocupado com a nossa sinceridade ao orarmos e não com fórmulas prontas! “Não useis de vãs repetições”...
Especificamente – com objetivo! “Portanto, vós orareis assim”...

Orar é um exercício que fortalece nossa vida espiritual! Vamos praticar!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 18/04/11 por e-mail.