Jesus e os discípulos

11/04/2011

 

Os apóstolos pediram instruções sobre como orar. Jesus deu-lhes mais do que palavras, pois tanto mostrou um exemplo de oração no momento do pedido, como mostrou com Seu exemplo consistente de fé em suas orações. Teriam eles aprendido? Dois breves episódios na parte inicial do livro de Atos mostram que eles aprenderam a importância da oração.
 
Depois que Pedro e João foram perseguidos e passaram algum tempo na prisão por causa de sua pregação, eles encontraram outros cristãos e oraram juntos com confiança, pedindo coragem para continuar sua obra (Atos 4.23-31). Sua citação da mensagem do Salmo 2 mostra que eles entenderam que o poder da oração é encontrado no poder daquele que ouve essas orações: o Deus que se assenta nos céus.
 
Quando confrontados com as necessidades físicas das viúvas na igreja de Jerusalém, os apóstolos reconheceram a importância desse serviço e guiaram a igreja na seleção de homens adequados para cuidar do assunto. Mas note, no texto, a razão pela qual os próprios apóstolos não desviaram sua atenção: "E, quanto a nós, nos consagraremos à oração e ao ministério da palavra" (Atos 6.4). O cuidado das viúvas não era para ser negligenciado, mas os apóstolos cuidadosamente reservaram tempo em suas vidas para a oração. Eles tinham aprendido bem a importante lição do exemplo de Jesus e de Seus hábitos de oração.
 
Entendo, pessoalmente, que esses exemplos devem nos ajudar e nortear nossa vida de oração. Temos o exemplo de Jesus, tanto com Suas palavras como com Sua atitude, e temos o exemplo dos apóstolos. Busquemos ao Senhor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 11/04/11 por e-mail.