Somos chamados para exaltar a Deus e fazer Sua vontade

06/04/2011



Texto: Gn 11


Ambição. Desejo. Indo mais uma vez contra a vontade de Deus, o ser humano começa uma construção que O desagrada. Com isso, para que a mesma não continuasse, Deus acaba promovendo a confusão das línguas, para que essa ambição não tomasse conta do ser humano da forma como vinha sendo. Mas essa construção também revela uma outra coisa: o ser humano, tão corrompido, não conseguia sentir a presença de Deus ao seu lado. Por isso o desejo de construir a torre: estar próximo de Deus. Mas foi pela maldade do próprio ser humano que este não sentia a presença de Deus. Quando os seres humanos se unem em atividades, muitas coisas podem ser feitas. Mas isso precisa estar debaixo da orientação de Deus e com Sua aprovação.

Mas temos outro problema aqui: a ordem de Deus na Criação é para encher a terra (Gn 1.28; ver também 9.7). Após o Dilúvio, era isso que deveria ser feito! No momento da construção da Torre, o ser humano está com o desejo de não se espalhar por toda a terra, contrariando a vontade de Deus (ver Gn 11.4). Sem contar que a Torre era uma construção com outro fim errado: eles queriam construir para eles mesmos e para que o nome deles fosse conhecido. Mas a honra pertence a Deus e Ele não divide com ninguém. Mesmo que nós sejamos elogiados por pessoas, a honra não é nossa, mas de Deus, pois foi graças a Ele que fizemos algo. Devemos saber receber o elogia o entregá-lo a quem de fato é o merecedor de tal! Assim, que possamos exaltar a Deus e não nossa opinião ou vontade, ou a nós mesmos e que façamos isso sempre obedecendo ao Seu querer, fazendo Sua vontade.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor



Esta meditação foi enviada em 06/04/11 por e-mail.