Comentário de livro Bíblico: Esdras

06/01/2011


Há algum tempo, escrevemos algumas mensagens tendo como base o Livro de Esdras. Estamos, inclusive, relembrando essas mensagens quando atualizamos o Blog http://compartilhandoesdras.blogspot.com/ - visite! Se você recebeu aquelas mensagens, relembre! E se fez seu cadastro depois, pode ler agora. O Blog é atualizado normalmente 1 vez por semana, e as atualizações devem ser retomadas na próxima semana!

Mas quando fizemos essa série de mensagens, não fizemos como fazemos agora: seguindo o livro de "ponta a ponta". Apenas escrevemos algumas mensagens sobre alguns dos textos do livro. Agora, iremos retomar as mensagens sobre o Livro de Esdras, fazendo dessa forma: indo de "ponta a ponta". Para iniciar essa série, relembramos o comentário do Livro que já temos no Compartilhando Na Web:

Autoria e Data 
Esdras significa “socorro, auxílio”. Ele liderou um dos grupos que retornou da Babilônia para Jerusalém. Como homem devoto, estabeleceu firmemente a Lei (o Pentateuco) como a base da fé (7.10).
 
A tradição hebraica define que seu autor é o próprio Esdras que está descrito no livro no capítulo 7.11 como “escriba das palavras, dos mandamentos do Senhor”.
 
Mas não é possível afirmar isso com absoluta certeza, exatamente por conta da tradição antiga que não envolvia direitos autorais. No entanto, a opinião mais aceita é de que Esdras tenha compilado ou escrito este livro, juntamente com 1 e 2 Crônicas e até mesmo Neemias. O que se acredita é que, no mínimo, ele tenha começado a escrever os livros citados e que alguém com acesso a essas informações e outras novas, pôde ampliar o texto, dando a forma final que conhecemos hoje.

O que entendemos como mais provável: Esdras escreveu seu livro, tendo como introdução algumas partes do texto de Crônicas. Um compilador historicamente posterior ampliou a pesquisa de Esdras no tocante ao texto que hoje temos como 1 e 2 Crônicas, com o conteúdo que temos hoje, ainda como um livro (já que a divisão só ocorreu por ocasião da tradução do Antigo Testamento para o grego – a Septuaginta ou LXX), teve acesso a outras informações dadas por Neemias ou alguém ligado a este e, inspirado pelo Espírito Santo, terminou a compilação dos 4 livros que temos hoje – 1 e 2 Crônicas (quando esse compilador terminou, os dois livros eram um), Esdras e Neemias.
  
O livro
Duas grandes mensagens emergem de Esdras: a fidelidade de Deus e a infidelidade do homem.
 
Os eventos relatados no livro de Esdras estão em dois momentos históricos distintos. O primeiro (capítulos 1-6) tem como tema o primeiro grupo que retorna do exílio sob o comando de Zorobabel e o início do processo de reconstrução do templo, que pode ter demorado quase 20 anos.
 
Liderado por Esdras, outro grupo de exilados volta (capítulos 7-10). São enviados pelo rei persa Ataxerxes, com somas adicionais de dinheiro e valores para intensificar o culto no templo. Esdras também é comissionado para apontar líderes em Jerusalém para supervisionar o povo.

Já em Jerusalém, Esdras assumiu o ministério de reformador espiritual. Esse trabalho inicial deve ter durado cerca de um ano.
 
Sacerdote dedicado, Esdras encontra um Israel que tinha adotado muitas das práticas dos habitantes pagãos. Ele chama Israel ao arrependimento e a uma renovada submissão à Lei, chegando ao divórcio de suas esposas pagãs.

Esboço de Esdras
I. O retorno sob a liderança de Zorobabel 1.1 - 2.70
  Ciro proclama o retorno de Israel 1.1-4
  O povo se prepara para o retorno 1.5-11
  Os nomes e a numeração dos primeiros que voltaram 2.1-67
  Ofertas voluntárias dos que retornaram 2.68-70
 
II. O processo de reconstrução do templo 3.1 - 6.22
  A reconstrução do altar e o começo dos sacrifícios 3.1-7
  Os alicerces são colocados em meio a choro e louvor 3.8-13
  Os inimigos desencorajam o projeto do templo 4.1-5
  Bislão e seus companheiros se queixam ao rei Artaxerxes 4.6-16.
  Artaxerxes ordena a interrupção da obra 4.17-24
  Tatenai tenta parar a construção do templo 5.1-17
  Dario assegura a Tatenai que o projeto é legal 6.1-12
  Conclusão e dedicação do templo 6.13-18
  Celebração da Páscoa 6.19-22
 
III. O retorno sob a liderança de Esdras 7.1 - 8.36
  Esdras parte da Babilônia com outro grupo de exilados 7.1-10
  Artaxerxes escreve uma carta de apoio a Esdras 7.11-28
  Os nomes e a numeração do segundo grupo que retornou 8.1-20
  Retorno dos exilados para Jerusalém 8.21-36
 
IV. A reforma de Esdras 9.1 - 10.44
  Esdras confessa as transgressões de Israel 9.1-15
  Os líderes de Israel concordam com a reforma 10.1-44
 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 06/01/11 por e-mail.