Separação necessária

21/12/2010

 

Atos dos Apóstolos 15.36-41

36 Decorridos alguns dias, disse Paulo a Barnabé: Tornemos a visitar os irmãos por todas as cidades em que temos anunciado a palavra do Senhor, para ver como vão.
37 Ora, Barnabé queria que levassem também a João, chamado Marcos.
38 Mas a Paulo não parecia razoável que tomassem consigo aquele que desde a Panfília se tinha apartado deles e não os tinha acompanhado no trabalho.
39 E houve entre eles tal desavença que se separaram um do outro, e Barnabé, levando consigo a Marcos, navegou para Chipre.
40 Mas Paulo, tendo escolhido a Silas, partiu encomendado pelos irmãos à graça do Senhor.
41 E passou pela Síria e Cilícia, fortalecendo as igrejas.


Desde o começo, Barnabé e Paulo estavam juntos por todos os lugares. Pouco depois da confirmação da conversão do ainda conhecido como Saulo, eles passam a caminhar juntos. Fizeram viagens missionárias, pregavam, anunciavam, fortaleciam o povo.

Parecia que iam até o fim nesse trabalho juntos. Mas, no texto de hoje, eles se separam. Paulo queria voltar por onde já tinham passado e Barnabé queria levar junto Marcos, que um tempo antes tinha deixado os dois no meio de uma viagem. Paulo, ainda lembrando disso, preferia que Marcos não fosse. Mas parece que Barnabé não abria mão. Aparentemente pode ser tido como uma bobagem, mas não sabemos que tipo de complicações a desistência de Marcos na primeira vez podem ter causado e que tipo de problemas Paulo queria evitar caso acontecesse de novo. Já Barnabé, queria dar ao jovem mais uma chance. Não teve acordo. Barnabé segue em viagem com Marcos e Paulo segue em viagem com Silas, com destinos diferentes.

Em nossa caminhada, algumas separações acontecem. Muitas vezes acontece conosco ou com pessoas que conhecemos. E em muitas dessas separações, não entendemos porque aconteceu, o que levou a tal, até pensamos que foi algo ruim. Talvez num primeiro momento seja mesmo, pelo menos por conta do sentimento da separação. Mas pode ser que o Senhor tenha um plano que vai além de pessoas andando juntas. Com Paulo e Barnabé indo a lugares diferentes, é claro que mais pessoas poderiam ser tocadas e sentir o que o Senhor tinha para fazer através daqueles servos. numa época que as distâncias eram vencidas com muito mais dificuldade que em nossos dias, essa separação pode ter dado a pessoas a chance de conhecer ao menos um daqueles servos que eram tão falados. E, claro, muito mais pessoas puderam ter um encontro com o Senhor através do trabalho desses homens. Assim, há momentos que não entendemos porque foi daquele jeito e até achamos que deveria ter sido diferente, mas há separações que são importantes e necessárias na caminhada, não apenas por desavenças, mas porque o Senhor tem um plano nesse ato. Que possamos entender do Senhor quando tais separações ocorrerem e que possamos notar o mais rapidamente possível o que quer o Senhor, para ficarmos menos tempo lamentando e mais tempo agindo de acordo com Sua vontade! Vale o registro: Paulo, depois, em uma de suas cartas, cita Barnabé e Marcos. Logo, a desavença ficou nesse momento histórico e no futuro, cada um deve ter entendido o que queria o Senhor daquilo tudo!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 21/12/10 por e-mail.