Estratégias

07/12/2010

 

Atos dos Apóstolos 15.22-29

22 Então, pareceu bem aos apóstolos e aos anciãos com toda a igreja escolher homens dentre eles e enviá-los a Antioquia com Paulo e Barnabé, a saber: Judas, chamado Barsabás, e Silas, homens influentes entre os irmãos.
23 E por intermédio deles escreveram o seguinte: Os apóstolos e os anciãos, aos irmãos dentre os gentios em Antioquia, na Síria e na Cicília, saúde.
24 Portanto ouvimos que alguns dentre nós, aos quais nada mandamos, vos têm perturbado com palavras, confundindo as vossas almas,
25 pareceu-nos bem, tendo chegado a um acordo, escolher alguns homens e enviá-los com os nossos amados Barnabé e Paulo,
26 homens que têm exposto as suas vidas pelo nome de nosso Senhor Jesus Cristo.
27 Enviamos, portanto, Judas e Silas, os quais também por palavra vos anunciarão as mesmas coisas.
28 Porque pareceu bem ao Espírito Santo e a nós não vos impor maior encargo além destas coisas necessárias:
29 Que vos abstenhais das coisas sacrificadas aos ídolos, e do sangue, e da carne sufocada, e da prostituição; e destas coisas fareis bem de vos guardar. Bem vos vá.


Uma vez que a decisão foi tomada e entenderam que não era necessário impor aos novos convertidos vindos do mundo gentio que seguissem as orientações da fé judaica, era necessário informar aos irmãos de tal decisão. Uma carta é escrita e para evitar qualquer possibilidade de desacreditar do conteúdo da carta e da decisão, alguns irmãos são enviados, pessoas com boa reputação e conhecidas de todos, de alguns pessoalmente, de outros, de ouvir falar.

Esse procedimento foi importante! Afinal, os que defendiam que as orientações do judaísmo deviam ser observadas, poderiam ter por heresia tal decisão e o mensageiro poderia ser morto, por conta do zelo! Assim, para evitar conflitos e acabar com a observação (ou a cobrança) de algo que se entendeu que deveria ser deixado de lado, irmãos levam a informação. Não tinha telefone, email, televisão, rádio...

Que possamos, como os apóstolos, buscar o que parece bem ao Espírito Santo e a nós, e não apenas o que nos parece certo ou o melhor. Que possamos ter "sintonia fina" para que possamos entender a vontade do Senhor, que vai além de fazer alguma coisa tida por certa: é fazer a vontade do Senhor! Podemos ter diante de nós atitudes certas, mas que não são a vontade de Deus para a nossa vida. Das erradas, fica mais fácil identificar e lutar para fugir! Mas que possamos fazer não apenas o que parece certo, mas o que realmente é vontade de Deus para nossa vida!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 07/12/10 por e-mail.