Cumprimento das Escrituras

30/11/2010

 

Atos dos Apóstolos 15.12-21

12 Então, toda a multidão se calou e escutava a Barnabé e a Paulo, que contavam quantos sinais e prodígios Deus havia feito por meio deles entre os gentios.
13 Depois que se calaram, Tiago, tomando a palavra, disse: Irmãos, ouvi-me:
14 Simão relatou como primeiramente Deus visitou os gentios para tomar dentre eles um povo para o seu nome.
15 E com isto concordam as palavras dos profetas; como está escrito:
16 Depois disto, voltarei e reedificarei o tabernáculo de Davi, que está caído; reedificarei as suas ruínas, e tornarei a levantá-lo;
17 para que o resto dos homens busque ao Senhor, sim, todos os gentios, sobre os quais é invocado o meu nome,
18 diz o Senhor que faz estas coisas, que são conhecidas desde a antiguidade.
19 Por isso, julgo que não se deve perturbar aqueles, dentre os gentios, que se convertem a Deus,
20 mas escrever-lhes que se abstenham das contaminações dos ídolos, da prostituição, do que é sufocado e do sangue.
21 Porque Moisés, desde tempos antigos, tem em cada cidade homens que o preguem, e cada sábado é lido nas sinagogas.


Depois do testemunho de Pedro, onde ele contou mais uma vez sobre o início de seu trabalho entre os gentios, Paulo e Barnabé contaram outros tantos testemunhos, confirmando que o Senhor estava agindo da forma como estava, sem que se seguisse as orientações judaicas. Os convertidos experimentavam um mover de Deus, que não podia ser desconsiderado!

Por fim, levanta-se Tiago, o irmão de Jesus e líder em Jerusalém, dando o seu parecer. Registra que os testemunhos dão conta do agir de Deus e registra ainda que tal mover está confirmando algo que as Escrituras já falavam! Logo, Deus estava cumprindo os Seus planos no correr da história. Isso não podia se deixado de lado. Assim, mesmo que seguir os ritos judaicos não fosse errado, entendeu-se que os novos convertidos vindos do mundo gentio não precisavam observar tais regras. Havia algumas recomendações, mas era hora de deixar Deus continuar agindo!

Este pode ser o momento de ruptura do cristianismo com o judaísmo, enquanto religião. Afinal, muitos outros iriam se converter ao cristianismo sem observar os detalhes da Lei. Foi um momento de ampliar ainda mais o novo movimento. Há momentos em nossa vida que precisamos romper com algo do passado para que possamos experimentar um novo momento. Claro que temos que tomar cuidado para não irmos numa direção errada. Mas precisamos ficar atentos ao mover de Deus em nossa vida, pessoal e comunitária, para que possamos saber que rumo seguir, para continuar fazendo a vontade de Deus. Que possamos, como aqueles que se reuniram para a decisão do texto de hoje, entender o mover de Deus e não o da nossa vontade e que saibamos romper com o que precisa ser deixado para trás, para seguir sempre na direção da vontade do Senhor.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 30/11/10 por e-mail.