Testemunho de Pedro

23/11/2010

 

Atos dos Apóstolos 15.6-11

6 Congregaram-se, pois, os apóstolos e os anciãos para considerar este assunto.
7 E, havendo grande discussão, levantou-se Pedro e disse-lhes: Irmãos, bem sabeis que já há muito tempo Deus me elegeu dentre vós, para que os gentios ouvissem da minha boca a palavra do evangelho e cressem.
8 E Deus, que conhece os corações, testemunhou a favor deles, dando-lhes o Espírito Santo, assim como a nós;
9 e não fez distinção alguma entre eles e nós, purificando os seus corações pela fé.
10 Agora, pois, por que tentais a Deus, pondo sobre a cerviz dos discípulos um jugo que nem nossos pais nem nós pudemos suportar?
11 Mas cremos que somos salvos pela graça do Senhor Jesus, do mesmo modo que eles também.


Por que o Título desta mensagem é "testemunho de Pedro"? Pode ser um parecer, sua opinião ou algo assim. Mas entendo que esta fala de Pedro nessa reunião é um testemunho. Alguns entendiam que os novos convertidos ao cristianismo, vindos do mundo gentio (de fora do judaísmo), deveriam observar alguns ritos judaicos. Como comentei na mensagem passada, não necessariamente seria algo errado, pois fazia parte da lei. O que se precisava entender era se aquela atitude era realmente necessária. Há atitudes que podem seguir esse caminho: ainda que não estejam erradas, não são necessariamente para realização. Já citei exemplos nesse sentido: não é errado ser missionário em outro país, mas nem todos devem fazer isso. E se alguém que não foi chamado resolver fazer, estará fora dos planos de Deus, apesar de não estar fazendo algo que será tido como errado, estará fazendo a coisa errada do ponto de vista do plano de Deus para a sua vida!

Nessa reunião para decidir se algo que não era errado deveria ser empregado para novos convertidos vindos de fora do judaismo, a fala de Pedro soa para mim mais como um testemunho do que apenas uma opinião. Lembra que Pedro era muito rígido com as coisas espirituais, sempre preocupado em seguir com cuidado, observando ritos do judaísmo? Lembra que antes de Pedro ser chamado para a casa de Cornélio o Senhor lhe deu uma revelação para que ele não considerasse impuro o que o Senhor purificou? Aquela visão foi importante para que Pedro fosse com as pessoas que vieram chamar para que ele fosse para a casa de Cornélio e para que ele entendesse claramente que o Senhor estava agindo mesmo no meio dos gentios.

Logo, ao dizer que foi chamado para pregar entre os gentios e que todos sabiam, Pedro evoca todas as experiências que teve ao logo da jornada até aquele momento, mas é claro que essa primeira, que representou a ruptura com o pensamento antigo e uma mudança diante da vontade de Deus, está no contexto. E os presentes que conheciam Pedro antes sabem da sua postura anterior e que algo realmente ocorreu para que ele mudasse de atitude e pesamento. Por isso vejo sua fala mais como testemunho, um testemunho vivo de que Deus estava operando algo diferente naquele momento. E para nós fica o testemunho de que mesmo aquelas coisas que são nossas, nossos pensamentos mais íntimos, mesmo que não esteja errado realizar algo do ponto de vista social, mas se o Senhor nos chama para uma mudança, devemos assumir o querer do Senhor. Viver e testemunhar essa mudança que veio do Senhor para a nossa vida, deixando definitivamente o pensamento anterior, quando o Senhor nos chama para a mudança. E como Pedro, defender o pensamento do Senhor, com base nesse chamado para a mudança. Que possamos sempre deixar de lado o que nos parece certo, mesmo até que não seja errado, para realizar sempre o melhor: a vontade do Senhor para o nosso viver!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 23/11/10 por e-mail.