Salmo 142

30/09/2010

 

1 Com a minha voz clamo ao Senhor; com a minha voz ao Senhor suplico.
2 Derramo perante ele a minha queixa; diante dele exponho a minha tribulação.
3 Quando dentro de mim esmorece o meu espírito, então, tu conheces a minha vereda; no caminho em que eu ando, ocultaram-me um laço.
4 Olha para a minha mão direita e vê, pois não há quem me conheça; refúgio me faltou; ninguém se interessa por mim.
5 A ti, ó Senhor, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, o meu quinhão na terra dos viventes.
6 Atende ao meu clamor, porque estou muito abatido; livra-me dos meus perseguidores, porque são mais fortes do que eu.
7 Tira-me da prisão, para que eu louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me farás muito bem.

Sabemos de muitos casos onde as pessoas se aproximam da oração e da busca apenas em momentos de maior angústia. O salmista nos mostra que a angústia é sim motivo para a busca, para a oração. A crise não é buscar em momentos assim, mas deixar a busca apenas para momentos assim. A tribulação e o perigo nos levam mesmo para a oração! Mas não devemos fazer isso apenas nesses momentos.

Então, o problema não está em buscar na angústia. Mas fazer a busca apenas nesses momentos. Orando em todo o tempo, buscando ao Senhor sempre, podemos e devemos buscar também nos momentos de angústia. Precisamos ser sinceros diante do Senhor sobre a angústia que vai em nosso coração. Ele conhece, claro, mas quando declaramos ao Senhor, com nossa oração, dizendo por nossa própria vontade, deixamos claro que buscamos ao Senhor e que confiamos Nele para a solução. E o Senhor quer nos guiar pelo melhor caminho. Não necessariamente viveremos sem angústia, mas viveremos debaixo do cuidado do Senhor, que mesmo na angústia, nos dá força para enfrentar essa dificuldade, nos dá a direção para mudar o quadro ou nos livra das angústias por Sua manifestação milagrosa. Quer dizer: mesmo ainda durante o tempo da angústia, já podemos viver da melhor forma, debaixo do cuidado do Senhor.

Em momentos assim aprendemos que devemos confiar muito mais no Senhor que em homens. Claro que nos apoiamos mutuamente, devemos ajudar as pessoas e receberemos ajuda! Mas não podemos contar com isso sempre, pois há momentos que as pessoas podem não conseguir ajudar ou podem não querer mesmo. Então, precisamos saber depender do Senhor, mesmo que seja para Ele agir através de outra pessoa! Vamos agradecer a pessoa, mas vamos agradecer também ao Senhor! E mesmo antes que seja realidade, agradecemos por confiar. Não como tentativa de negar o problema ou a angústia, mas por saber que o Senhor vai agir mesmo. Assim, podemos agradecer mesmo antes de tudo mudar. Portanto, saiba que apresentar sua angústia ao Senhor é importante, mas não faça isso apenas. Não busque ao Senhor só na angústia, mas sempre. E confie que o Senhor vai agir, já agradecendo antes mesmo de acotecer. Mas saiba que, mesmo que outra pessoa faça algo que caracterize a ajuda, ela partiu de fato do Senhor. Não espere ou confie em homens, mas saiba que quando estes se apresentam como vasos, o Senhor age através deles. Age através de você. Agradeça ao Senhor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 30/09/10 por e-mail.