Perseguição...

28/09/2010


Atos dos Apóstolos 14.1-7

1 Em Icônio, entraram juntos na sinagoga dos judeus e falaram de tal modo que creu uma grande multidão tanto de judeus como de gregos.
2 Mas os judeus incrédulos excitaram e irritaram os ânimos dos gentios contra os irmãos.
3 Eles, entretanto, se demoraram ali por muito tempo, falando ousadamente acerca do Senhor, o qual dava testemunho à palavra da sua graça, concedendo que por suas mãos se fizessem sinais e prodígios.
4 E se dividiu o povo da cidade; uns eram pelos judeus e outros pelos apóstolos.
5 E, havendo um motim tanto dos gentios como dos judeus, juntamente com as suas autoridades, para os ultrajarem e apedrejarem,
6 eles, sabendo-o, fugiram para Listra e Derbe, cidades da Licaônia, e a região circunvizinha;
7 e ali pregavam o evangelho.


Mais uma vez, a pregação chamou a atenção. Era algo que parecia interessante! Gregos e Judeus estão aceitando a mensagem, acreditando no que é pregado. Mas alguns que não acreditavam dentro do judaismo fazem oposição e agitam alguns dos gentios também contra a mensagem!

Ainda assim, a pregação continua. Muitos ainda se convertem! A pregação continuou por algum tempo e alguns começam a ver os sinais e prodígios. Pregação de uma mensagem de vida, com sinais e prodígios! Parece que seria definida a aceitação da mensagem.

Mas não é o que acontece. Alguns querem até mesmo apedrejar os que pregavam o Evangelho e que tinham os sinais. E os pregadores precisam ir para outro lugar, o que foi bom, já que o Evangelho foi pregado em outro lugar ainda! Mas vemos que o fato de ter coerência na mensagem e ainda ter os sinais não garante que haja aceitação. E isso acontece em nossos dias! Não são apenas os que estão longe da coerência ou dos sinais que não são aceitos. Parece que é mais fácil ir contra aquele que realmente está agindo em nome do Senhor (até pensando que estamos agindo com prudência e zelo) e somos enganados e, da mesma forma no engano, aceitamos aqueles que não seguem exatamente no caminho do Senhor. Então, precisamos clamar por discernimento da parte do Pai, para que possa entender realmente quem está agindo em nome do Senhor e quem está no engano. Para que não persigamos os que vivem de acordo com o querer do Senhor e não aceitemos aqueles que enganam. Mas não por entendimento nosso (que pode ir até na direção contrária). E nem para simplesmente maltratar alguém, mas para até mesmo dar a chance de mudar. Que possamos agir sempre debaixo da vontade do Senhor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 28/09/10 por e-mail.