Somos chamados para combater o bom combate

22/09/2010


1 Timóteo
1.1-20

1 Paulo, apóstolo de Cristo Jesus, segundo o mandado de Deus, nosso Salvador, e de Cristo Jesus, esperança nossa.
2 a Timóteo, meu verdadeiro filho na fé: graça, misericórdia e paz da parte de Deus Pai e de Cristo Jesus, nosso Senhor.
3 Como te roguei, quando partia para a Macedônia, que ficasse em Éfeso, para advertires a alguns que não ensinassem doutrina diversa,
4 nem se preocupassem com fábulas ou genealogias intermináveis, pois que produzem antes discussões que edificação para com Deus, que se funda na fé.
5 Mas o fim desta admoestação é o amor que procede de um coração puro, de uma boa consciência, e de uma fé não fingida;
6 das quais coisas alguns se desviaram e se entregaram a discursos vãos,
7 querendo ser doutores da lei, embora não entendam nem o que dizem nem o que com tanta confiança afirmam.
8 Sabemos, porém, que a lei é boa, se alguém dela usar legitimamente,
9 reconhecendo que a lei não é feita para o justo, mas para os transgressores e insubordinados, os irreverentes e pecadores, os ímpios e profanos, para os parricidas, matricidas e homicidas,
10 para os devassos, os sodomitas, os roubadores de homens, os mentirosos, os perjuros e para tudo que for contrário à sã doutrina,
11 segundo o evangelho da glória do Deus bendito, que me foi confiado.
12 Dou graças àquele que me fortaleceu, a Cristo Jesus, nosso Senhor, porque me julgou fiel, pondo-me no seu ministério,
13 ainda que outrora eu era blasfemador, perseguidor e injuriador; mas alcancei misericórdia, porque o fiz por ignorância, na incredulidade;
14 e a graça de nosso Senhor superabundou com a fé e o amor que há em Cristo Jesus.
15 Fiel é esta palavra e digna de toda a aceitação; que Cristo Jesus veio ao mundo para salvar os pecadores, dos quais sou eu o principal;
16 mas por isso alcancei misericórdia, para que em mim, o principal, Cristo Jesus mostrasse toda a sua longanimidade, a fim de que eu servisse de exemplo aos que haviam de crer nele para a vida eterna.
17 Ora, ao Rei dos séculos, imortal, invisível, ao único Deus, seja honra e glória para todo o sempre. Amém.
18 Esta admoestação te dirijo, filho Timóteo, que segundo as profecias que houve acerca de ti, por elas pelejes a boa peleja,
19 conservando a fé e uma boa consciência, a qual alguns havendo rejeitado, naufragando no tocante à fé;
20 e entre esses Himeneu e Alexandre, os quais entreguei a Satanás, para que aprendam a não blasfemar.


Como sempre, vemos Paulo direcionado pelo Espírito Santo a escrever, agora para encorajar o jovem Timóteo. Como autoridade espiritual naqueles dias, como aquele que assumiu o chamado para pregar, chamando pessoas para a vida cristã, quer fossem novos convertidos, quer fossem já convertidos que precisavam de "ajustes" ou de confirmação do chamado, Paulo mostra a autoridade da revelação divina.

Vemos no texto que Paulo lembra Timóteo do propósito do seu trabalho: Chamando as pessoas para fugirem do erro, porque alguns estavam deixando de ensinar a doutrina de Cristo em favor de "outra doutrina" e "fábulas e genealogias sem fim". Aí, alguns não estavam crescendo no "serviço de Deus", mas estavam se perdendo em discussões inúteis (1.3-4). O que acontece muito em nossos dias: há assuntos que não nos levam ao crescimento espiritual que permanecem na "pauta" de nossas comunidades e outros assuntos que podem gerar esse crescimento que acabam deixados de lado. Precisamos deixar de lado nossa vontade, a vontade que temos de conversar sobre certos assuntos e buscar mesmo no Espírito Santo sobre o que conversar!

Paulo chama Timóteo para combater esse bom combate: falar das coisas de Deus, de acordo com a vontade de Deus e não de acordo com os desejos humanos. E podemos entender que esse chamado está vivo para nós também! Precisamos deixar vãs discussões que parecem tão importantes e precisamos conversar sobre o que realmente interessa. Só buscando no Senhor o entendimento e abrindo mão dos nossos interesses que poderemos crescer nessa direção. Que possamos combater o bom combate: deixar de lado nossa vontade e buscarmos em tudo a vontade do Senhor para nós! E que possamos entender quando pessoas fizerem o mesmo, pois podemos aceitar facilmente o que é tido como certo socialmente falando, mas algumas vezes, para fazer a vontade do Senhor, precisamos deixar de lado até isso! Afinal, fazer a vontade de Deus é ir além de fazer o certo! É deixar o errado, mesmo que pareça certo. Já demos exemplos nesse sentido: ser um missionário no campo nunca será tido como errado socialmente falando, mas pode ser que determinada pessoa que assumiu essa tarefa não seja exatamente chamada para tal! Logo, fazer a vontade do Senhor, essa pessoa terá que deixar algo que não é tido como errado, mas que não é o melhor caminho para ela! Assim, que possamos combater o bom combate, buscando sempre a vontade do Senhor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 22/09/10 por e-mail.