Se é o outro, é estranho; se sou eu, tem sentido

10/09/2010

 

Quando o outro não faz, é preguiçoso.
Quando você não faz, está muito ocupado.

Quando o outro fala, é intrigante.
Quando você fala, é crítica construtiva.

Quando o outro se decide a favor de um ponto, é cabeça dura.
Quando você faz o mesmo, está sendo firme.

Quando o outro não cumprimenta, é mascarado.
Quando você passa sem cumprimentar, é apenas distraído.

Quando o outro fala de si mesmo é egoísta.
Quando você faz isso, é porque precisa desabafar.

Quando o outro se esforça para ser agradável, tem uma segunda intenção.
Quando você age assim, é gentil.

Quando o outro faz alguma coisa sem ordem, está excedendo.
Quando você faz, é iniciativa.

Quando o outro progride, teve oportunidade.
Quando você progride, é fruto de muito trabalho.

Quando o outro luta pelos seus direitos, é teimoso.
Quando você faz, é prova de caráter.

Quando o outro encara os dois lados do problema, está sendo fraco.
Quando você o faz, está sendo compreensivo.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 10/09/10 por e-mail.