Quando Deus escolhe alguém...

17/08/2010


Atos dos Apóstolos 13.1-3

1 Ora, na igreja em Antioquia havia profetas e mestres, a saber: Barnabé, Simeão, chamado Níger, Lúcio de Cirene, Manaém, colaço de Herodes, o tetrarca, e Saulo.
2 Enquanto eles ministravam perante o Senhor e jejuavam, disse o Espírito Santo: Separai-me a Barnabé e a Saulo para a obra a que os tenho chamado.
3 Então, depois que jejuaram, oraram e lhes impuseram as mãos, os despediram.


A Igreja em Antioquia estava crescendo. A Palavra era pregada, pessoas estavam aceitando a mensagem, mudando de vida. Os mestres faziam a instrução do povo. Os profetas anunciavam aquilo que o Senhor os revelava. Era uma comunidade, edificada na Rocha, em Cristo. E que estava pronta para ir além. Como foi no Pentecostes, aqueles que se reuniram segundo orientação do Senhor Jesus até que a promessa do Pai se cumprisse e eles recebessem o Batismo com o Espírito Santo, e quando isso aconteceu, era hora de pregar e ir além na propagação da mensagem, a Igreja em Antioquia passava por um momento parecido! É verdade que eles já pregavam, não estavam apenas buscando como aqueles primeiros. Mas o momento espiritual permitia um chamado a dar outro passo na direção do cumprimento da vontade do Senhor.

O texto nos mostra que, em oração, entendem que Saulo e Barnabé deveriam ser destacados para uma missão. O Espírito Santo pediu que eles fossem separados para essa missão. Acredito que os dois já tinham sentido algo nesse sentido, talvez tenham conversado antes sobre algumas possibilidades... Mas é neste momento que eles são destacados para uma missão que o Espírito Santo tinha para mostrar. Barnabé (já escrevemos sobre isso) já tinha ouvido falar de Saulo e tinha ido procurar e andar com ele. Agora, era tempo de irem além.

Oração, jejum, imposição de mãos, despedida. Assim Saulo e Barnabé vão na direção do trabalho que o Espírito Santo tem para eles. Tinham o apoio, o reconhecimento e contavam com o apoio em oração da comunidade. Eles vão para a missão, contando com o que entendemos ser "cobertura espiritual" da comunidade. É muito importante que pessoas sejam chamadas para o trabalho missionário, como foi com Saulo e Barnabé neste texto. Mas também é muito importante que pessoas sejam tocadas para manter esse trabalho, caso esses missionários façam dedicação integral ao trabalho missionário (sabemos que Paulo - aqui no nosso texto de hoje ainda Saulo, contava com o apoio de irmãos, mas também fazia seus próprios rendimentos fazendo tendas). E, além de despedir em oração uma pessoa que vá para o trabalho missionário, é muito importante que a comunidade que fica participe diretamente do trabalho em oração! Buscando ao Senhor, intercedendo por quem está no campo. Logo, quem vai, não vai sozinho e quem fica, tem que participar também! Que possamos sempre buscar ao Senhor tanto para entender o chamado como para inteceder por quem diz "sim" a esse chamado!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 17/08/10 por e-mail.