Entregue a flor...

10/08/2010


Atos dos Apóstolos 12.20-25

20 Ora, Herodes estava muito irritado contra os de Tiro e de Sidom; mas estes, vindo de comum acordo ter com ele e obtendo a amizade de Blasto, camareiro do rei, pediam paz, porquanto o seu país se abastecia do país do rei.
21 Num dia designado, Herodes, vestido de trajes reais, sentou-se no trono e dirigia-lhes a palavra.
22 E o povo exclamava: É a voz de um deus e não de um homem.
23 No mesmo instante, o anjo do Senhor o feriu, porque não deu glória a Deus; e, comido de vermes, expirou.
24 E a palavra de Deus crescia e se multiplicava.
25 Barnabé e Saulo, havendo terminado aquele serviço, voltaram de Jerusalém, levando consigo a João, que tem por sobrenome Marcos.


Herodes tinha começado a perseguir os cristãos e isso ganhava simpatia dos judeus. Assim, ele amplia esse ato, para tentar manter boas relações com os judeus, tentando ter menos problemas para administrar. Depois da prisão de Pedro, como vimos nas últimas semanas, parecia que ele iria conseguir mais apoio. Mas de forma milagrosa Pedro estava livre e ele não poderia mais apresentá-lo ao povo. O texto não nos revela detalhes de tal situação. Talvez porque a prisão de Pedro só seria anunciada quando ele fosse apresentado e como ele já não estava mais preso, não havia porque falar do assunto. E para nós, o que interessa mesmo é o ato milagroso da parte de Deus, libertando Pedro.

Agora, o texto nos mostra o que acontece com Herodes, quando ele era visto com muita "autoridade", tal qual fosse um deus. O texto revela que porque ele não deu glória a Deus, ele morreu. Muitas pessoas acham que existe problema em reconhecer algo em outras pessoas. Entendo que podemos reconhecer sim. Claro que temos que tomar cuidado com exageros... E a pessoa que recebe tal reconhecimento, precisa ter consciência e deixar bem claro que só pode ser reconhecida daquela forma porque o Senhor está agindo. Uma vez ouvi a expressão: "receber um elogio de alguém deve ser como receber a flor que te dão, mas entregar para quem realmente a merece, que é Deus". Faço assim, tomo cuidado com elogios exagerados, mas não deixo de os mencionar, e quando os recebo, entrego ao Senhor, que é Quem realmente merece!

No final, o texto fala do avanço missionário. Uma forma de mostrar a diferença entre aquele que não reconhece ao Senhor, que morre, e aqueles que reconhecem, que mesmo em perseguição ou situação socialmente precária, ainda conseguiam avançar na pregação do Evangelho. Quer dizer: as maiores facilidades sem Deus, não são nada! E as maiores dificuldades com Deus, podem nos levar mais longe. Insisto que ter a Graça do Senhor nos basta. E se nada além disso me for dado, sigo feliz! Mas há momentos que o Senhor amplia o leque de bênçãos. Não como muitos querem, por obrigação, mas para um fim proveitoso. Para exaltar o nome Dele!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 10/08/10 por e-mail.