Somos chamados para viver o cristianismo

21/07/2010

 

1 Coríntios 1.10-17
 

10 Rogo-vos, irmãos, em nome de nosso Senhor Jesus Cristo, que sejais concordes no falar e que não haja dissensões entre vós; antes, sejais unidos no mesmo pensamento e no mesmo parecer.
11 Pois a respeito de vós, irmãos meus, fui informado pelos da família de Cloé que há contendas entre vós.
12 Refiro-me ao fato de cada um de vós dizer: Eu sou de Paulo; ou: Eu de Apolo; ou: Eu sou de Cefas; ou: Eu de Cristo.
13 Será que Cristo está dividido? Foi Paulo crucificado por amor de vós? Ou fostes vós batizados em nome de Paulo?
14 Dou graças a Deus que a nenhum de vós batizei, senão a Crispo e a Gaio;
15 para que ninguém diga que fostes batizados em meu nome.
16 É verdade, batizei também a família de Estéfanas, além destes, não sei se batizei algum outro.
17 Porque Cristo não me enviou para batizar, mas para pregar o evangelho; não em sabedoria de palavras, para não se tornar vã a cruz de Cristo.



Conflitos, discórdias, cismas, desavenças, partidarismo (cf. 1 Co 1.10-31; 3.1-9; 6; 8; 10.14-21; etc.). Em uma leitura rápida da carta aos Coríntios, estas são expressões que mais se destacam. O apóstolo Paulo recebe notícias sobre a situação da comunidade (1.11) e não tarda em escrever, novamente orientando, principalmente na tentativa de encontrar meios de buscar a união de um grupo tão diverso.

Além de conflitos quanto à teologia, aparecem, de maneira mais acentuada, as tensões sociais entre pobres e ricos. Em uma sociedade estratificada, as dificuldades se assentuam. Apesar da distância histórica dos relatos, muitas similaridades encontramos com os nossos dias. E essas tensões se acentuam na reunião da Ekklesia - Igreja. Não é por menos que Paulo se preocupa longamente com esse assunto (a igreja, principalmente no momento da sua manifestação de culto).

O apóstolo Paulo tem um campo muito vasto de atividade e influência no Novo Testamento. Ele estava preocupado em dar visão do que realmente era o cristianismo nascente naqueles dias. Grande missionário, que enfrentou viagens, naufrágios e prisão para levar a frente a obra iniciada. Com grande zelo e amor, cuidava do povo que, ou ele tinha evangelizado, ou eram pessoas que vinham de frutos de seus trabalhos em outros lugares, ou pessoas que eram evangelizadas por outras pessoas que conheceram o cristianismo através do apóstolo. Mesmo diante de sua limitação humana, podendo se contradizer em alguma situação, Paulo não mediu esforços para levar essa obra com zelo, dentro de suas limitações, contanto sempre com a direção do Espírito Santo.

É extremamente necessário que estejamos dispostos/as a viver com compromisso um cristianismo genuíno e não aquele que nós gostaríamos que fosse o cristianismo. Paulo orienta nesta e em outras cartas, falando que parecia errado, ou apenas chamando para o acerto. Neste caso de 1 Coríntios, fez os dois! Devemos levar em conta que a nossa conversão deve ser completa, sem a observação dos valores do mundo. Vivemos nesse mundo, mas não somos mais influenciados por seus atrativos passageiros. Nos divertimos, passeamos, torcemos em eventos os mais variados (principalmente esportivos), mas não trocamos a busca pela vontade do Senhor por isso. Pelo menos, não devemos trocar...

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 21/07/10 por e-mail.