Ajudar o máximo que pode

20/07/2010


Atos dos Apóstolos 11.27-30

27 Naqueles dias, desceram profetas de Jerusalém para Antioquia;
28 e levantando-se um deles, de nome Ágabo, dava a entender pelo Espírito, que haveria uma grande fome por todo o mundo, a qual ocorreu no tempo de Cláudio.
29 E os discípulos resolveram mandar, cada um conforme suas posses, socorro aos irmãos que habitavam na Judéia;
30 o que eles com efeito fizeram, enviando-o aos anciãos por mão de Barnabé e Saulo.


Um profeta falou em nome do Senhor. Disse que uma grande fome. E, confirmando que falava em nome do Senhor, ela realmente aconteceu!

Antes de falar sobre o apoio, quero fazer um registro: quem gosta desse tipo de profecia? Se lembrarmos que foi profetizado por Ágabo, pelo Espírito, todos irão dizer que gostam desse tipo de profecia. Mas hoje em dia os "profetas" falam muito mais de coisas boas e agradáveis do que de coisas assim. E são procurados por muitos aqueles que fazem esse tipo de "profecia"! Parece que o "profeta" hoje em dia apenas deve dizer coisas boas e agradáveis! Mas quando é inspirado pelo Espírito Santo, ainda que seja duro e complicado, deve ser dito! Quantas vezes vários "profetas" antes de mim disseram apenas coisas boas e quando eu cheguei, vi que não era bem assim, disse como seria e o Senhor confirmou... Outras, falei coisas alegres, claro! Mas devemos falar o que o Espírito nos manda falar e não o que as pessoas gostariam de ouvir. Isso vale para os sermões também...

Voltando para a questão do apoio, vemos no texto que os irmãos se mobilizaram para ajudar aqueles que estavam enfrentando a tal fome. Muitas vezes precisamos ajudar, mesmo que tenhamos pouco! Sempre dentro de nossas possibilidades. Não podemos nos esquivar do apoio porque temos pouco! Nem podemos apenas dizer que quem tem mais tem que dar! Temos, todos, que auxiliar dentro do limite de nossas posses. Barnabé e Saulo continuam agindo juntos. São os responsáveis por levar as ofertas levantadas. Quantas conversas devem ter acontecido nesses dias entre esses dois servos... os planos para começar as viagens missionárias... Não sabemos, mas pode ter acontecido! Deixando de lado as divagações, o que deve ficar registrado é: não se omita na hora de ajudar. Ainda que para você pareça pouco, ainda que suas posses não permitam realmente que você dê uma grande contribuição, não se apegue ao "material" nessa hora, pensando em quantidade! Pense que, mesmo que seja pouco o seu sozinho, ao estar unido com outros que deram pouco ou muito, esse total é que irá ajudar no final das contas. Já não vai importar se foi pouco ou muito, mas o importante é que a sua contribuição foi somada ao todo que ajudou a quem estava precisando! Ajudemos, ainda que no limite de nossas posses o que possamos fazer pareça pouco! Não deixe de colaborar!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 20/07/10 por e-mail.