Salmo 130

17/06/2010

 

1 Das profundezas clamo a ti, ó Senhor.
2 Senhor, escuta a minha voz; estejam os teus ouvidos atentos à voz das minhas súplicas.
3 Se tu, Senhor, observares as iniqüidades, Senhor, quem subsistirá?
4 Mas contigo está o perdão, para que sejas temido.
5 Aguardo ao Senhor; a minha alma o aguarda; eu espero na sua palavra.
6 A minha alma anseia pelo Senhor, mais do que os guardas pelo romper da manhã, sim, mais do que os guardas pela manhã.
7 Espera, ó Israel, no Senhor! Pois com o Senhor há benignidade, e com ele há copiosa redenção;
8 e ele remirá a Israel de todas as suas iniqüidades.

Os salmos de 120 até 134 são conhecidos como "cântico dos degraus" ou "cântico de romagem" (depende da tradução da Bíblia que você utilize). Todos tratam de vários assuntos da religiosidade, de forma rápida, para auxiliar na memorização, possivelmente. Seria uma espécie de "livro menor", "resumo", com os detalhes importantes, para que fossem facilmente lembrados. Ou ainda um "hinário", "cancioneiro", "livro com canções", pois entende-se que eram realmente cantados, principalmente quando o povo ia de caminho para Jerusalém, para o sacrifício ou festas. E durante a caminhada, continuavam "estudando" e meditando na Palavra através dessas porções. Também poderiam ser utilizados durante os afazeres diários, com a mesma disposição.

O salmo 130 se apresenta como uma oração. Possivelmente, o início ("das profundezas") trata-se de uma alusão ao tempo no Exílio. Além disso, mostra-se também como uma oração de confissão, pensando que o início tenha ligação do o pecado. E aí, o salmista clama dessa profundeza e tem a certeza que o Senhor não irá olhar apenas para a iniquidade, para o erro. Mas isso também pode ser alusão ao tempo do Exílio, pois foi por conta do pecado, por deixar de cumprir a vontade do Senhor, que Israel foi para o Exílio! Pode falar de um momento de grande tristeza, de grande dificuldade. Quando levanto essas possibilidades, é para que possamos fazer a adaptação do texto e trazê-lo para a nossa vida, para a nossa experiência.

Confiado no perdão divino, o salmista confia e espera no Senhor. Sabe o que esperar. Quem já viveu a experiência de trabalhar na madrugada sabe que um dos momentos mais frios é perto do momento em que o sol vai "nascer". Por isso, a comparação do sentinela aguardando pelo romper da manhã tem, pelo menos, duas razões: primeiro, por conta desse momento mais frio e segundo, por esperar pela manhã para ter melhor visão. Talvez a troca da guarda, mas não quero entrar nesse mérito. A comparação com a expectativa do "nascer" do sol é fantástica, porque podemos contar com o consolo do Senhor e ter a certeza que vai ter a intervenção Dele, tal qual o amanhecer: ele acontece mesmo em dias nublados! O cuidado do Senhor é certo! E podemos contar com isso, buscando o perdão e tendo o desejo de viver de acordo com a vontade do Senhor! Espere pelo Senhor tanto para o perdão, como para o cuidado de sua vida!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 17/06/10 por e-mail.