Salmo 119.113-120

04/02/2010

 

113 Aborreço a duplicidade, mas amo a tua lei.
114 Tu és o meu refúgio e o meu escudo; espero na tua palavra.
115 Apartai-vos de mim, malfeitores, para que eu guarde os mandamentos do meu Deus.
116 Ampara-me conforme a tua palavra, para que eu viva; e não permitas que eu seja envergonhado na minha esperança.
117 Sustenta-me, e serei salvo, e de contínuo terei respeito aos teus estatutos.
118 Desprezas todos os que se desviam dos teus estatutos, pois a astúcia deles é falsidade.
119 Deitas fora, como escória, todos os ímpios da terra; pelo que amo os teus testemunhos.
120 Arrepia-se-me a carne com temor de ti, e tenho medo dos teus juízos.


Este trecho refere-se a 15ª letra do alfabeto hebraico -
ס - "samek".

Quando nos dedicamos a viver de acordo com a vontade do Senhor, conhecendo Sua Palavra, passamos a não gostar do que é contrário ao ensinamento do Senhor. Não apenas do que é meramente visível socialmente. Muitas vezes, o que parece certo nos afasta da vontade do Senhor, mesmo que socialmente não mostre erro. Mesmo que façamos algo tido como certo socialmente, se isso não for a vontade do Senhor para nossa vida, estamos no erro. Já dei o exemplo de que ninguém achará errado alguém querer ser missionário, mas que se essa não for a vontade do Senhor para aquela pessoa, ela estará em desobediência. Logo, muito mais do que a aparência social de algo bom, aquele que busca a vontade do Senhor deixa de lado essa mera aparência e deixa o caminho errado na mesma hora que o Senhor mostra o erro, buscando viver de acordo com a vontade do Senhor.

O salmista quer que o próprio Senhor afaste dele aquelas pessoas que fazem as coisas contrárias ao querer do Senhor. O malfeitor não é apenas aquele que faz algo errado reconhecido socialmente. É esse, mas é também aquele que se afasta da Palavra do Senhor, do querer de Deus, e que muitas vezes, com suas razões e explicações, tenta nos levar no mesmo caminho, parecendo o certo. Por isso o salmista pede que eles sejam afastados. Não quer ser convencido de algo errado. Antes, se for possível, que ele dê testemunho da verdade, claro, mas se isso não for possível, ele espera que o próprio Deus tire do caminho dele aquele que vai contra a vontade do Senhor. Em vez de ter esses no seu caminho, o salmista diz que prefere ser amparado pela Palavra do Senhor, para não ser envergonhado em sua esperança. Quer dizer: pode até parecer estranho, mas se é a verdade da vontade do Senhor, ele espera nessa verdade. Não quer apenas o que parece certo, mas quer o certo que venha realmente do Senhor. Abomina o erro declarado, não quer o que parece certo, quer apenas viver de acordo com a vontade do Senhor.

Esse é um chamado para todos nós. Não fazer apenas o que parece certo ou bom socialmente, mas realizar por completo a vontade do Senhor. Entender um caminho que se mostra errado até mesmo socialmente, é fácil! Mas entender o caminho que, mesmo que socialmente pareça certo, nos afasta da vontade do Senhor é mais complicado. Só meditando na Palavra, buscando no Senhor e deixando Ele nos inspirar. E mesmo que socialmente fique estranho, se é a vontade do Senhor, logo irá ser uma realidade em sua vida, se você deixar Ele agir. Ou não era estranho, para citar apenas um exemplo dentre tantos, que José (Gênesis) realmente tivesse motivos para acreditar que a vontade do Senhor para a vida dele era que ele fosse grande, quando é vendido como escravo pelos irmãos, dado como morto, preso por uma mentira e esquecido na prisão? Socialmente, parecia que ele seria grande? Mas a sua esperança estava no Senhor. E da mesma forma que o salmista, que possamos depositar nossa esperança no Senhor, sabendo que Ele mesmo nos ajudará a viver a Sua vontade, se assim buscarmos. Com respeito, busquemos sempre o querer do Senhor.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 04/02/10 por e-mail.