Salmo 119.105-112

28/01/2010

 

105 Lâmpada para os meus pés é a tua palavra, e luz para o meu caminho.
106 Fiz juramento, e o confirmei, de guardar as tuas justas ordenanças.
107 Estou aflitíssimo; vivifica-me, ó Senhor, segundo a tua palavra.
108 Aceita, Senhor, eu te rogo, as oferendas voluntárias da minha boca, e ensina-me as tuas ordenanças.
109 Estou continuamente em perigo de vida; todavia, não me esqueço da tua lei.
110 Os ímpios me armaram laço, contudo não me desviei dos teus preceitos.
111 Os teus testemunhos são a minha herança para sempre, pois são eles o gozo do meu coração.
112 Inclino o meu coração a cumprir os teus estatutos, para sempre, até o fim.


Este trecho refere-se a 14ª letra do alfabeto hebraico -
ן - "num".

Talvez uma das partes mais lidas deste salmo. Especialmente o versículo 105. Encontramos na Palavra de Deus o "norte", o "guia" certo para a nossa vida, tanto no que diz respeito ao comportamento diário, para atitudes do dia a dia, como para nos ajudar a formar as ideias necessárias para entendermos como agir, além, é claro, de nos mostrar o caminho para a eternidade. A iluminação da Palavra de Deus em nossa vida é para todos os aspectos!

É claro que muitos apenas recorrem ao Senhor em momentos de angústia. Mas não devemos agir assim, claro. Só não podemos negar que há muitos que assim agem. O salmista não deve ter feito isso, mas mesmo assim, deixa claro neste momento do salmo sua angústia, sua aflição. E o que ele pede é para ser vivificado na Palavra. Tinha entendido que qualquer que seja a tribulação ou dificuldade, não importa, se estivermos vivendo de acordo com a Palavra, se a conhecermos bem e praticarmos, teremos força para enfrentar a aflição. Muitas vezes o Senhor nos livra, mas há outras que nos dá forças para enfrentarmos. E só teremos como entender a força do Senhor se estivermos vivificados pela Palavra! É no Senhor que devemos buscar a resposta e não em conselhos humanos, pois podemos nos deparar com conselhos como os que foram dados a Jó, fora de contexto para a situação e que não podiam realmente trazer uma boa solução, apesar de parecerem adequados! Se imaginarmos simplesmente a situação de Jó (sem conhecer toda a história), alguns dos conselhos até pareceriam corretos, mas não o eram por conta do plano do Senhor. E para ter a melhor resposta, só esperando a que vem do Senhor.

Mesmo diante de problemas, se estivermos diante da Palavra, poderemos sentir o cuidado do Senhor. Não há perigo que seja mais forte que a manifestação de Deus em sua vida! Os primeiros cristãos morriam por proclamar a verdade. Ainda assim, a mensagem que eles pregavam era aceita por outros, que também sofriam o martírio. Nem mesmo diante da morte aqueles irmãos temiam, pois sabiam que mesmo que houvesse a preocupação física com o evento, a certeza do cuidado do Senhor lhes dava maior convicção de que Ele estava no controle e eles poderiam até mesmo alcançar a liberdade de forma milagrosa. Mas se isso não acontecesse, eles sabiam que o propósito do Senhor seria cumprido! E isso dava a cada um a certeza de que eram forte no Senhor até mesmo para enfrentar a morte, como testemunho de que confiavam no Senhor e que estavam indo, na verdade, para o "outro lado do céu". Viver em comunhão com o Senhor nos dá essa tranquilidade, ainda que enfrentemos aflições na carne. E, claro, devemos guardar para nós essa herança, além de anunciar para outros, que podem encontrar esse mesmo sentimento, ao buscar no Senhor a vontade Dele e vivendo de acordo com essa vontade. Devemos viver assim e chamar outros a buscarem o mesmo!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 28/01/10 por e-mail.