Salmo 119.97-104

21/01/2010

 


97 Oh! Quanto amo a tua lei! Ela é a minha meditação o dia todo.
98 O teu mandamento me faz mais sábio do que meus inimigos, pois está sempre comigo.
99 Tenho mais entendimento do que todos os meus mestres, porque os teus testemunhos são a minha meditação.
100 Sou mais entendido do que os velhos, porque tenho guardado os teus preceitos.
101 Retenho os meus pés de todo caminho mau, a fim de observar a tua palavra.
102 Não me aparto das tuas ordenanças, porque és tu quem me instrui.
103 Oh! Quão doces são as tuas palavras ao meu paladar! Mais doces do que o mel à minha boca.
104 Pelos teus preceitos alcanço entendimento, pelo que aborreço toda vereda de falsidade.


Este trecho refere-se a 13ª letra do alfabeto hebraico -
ם - "mem".

Vemos neste texto uma belíssima confirmação que vale a pena amar a lei de Deus, a Sua Palavra, e meditar em cada ponto. Não fazer uma leitura rápida e sem aprofundar, mas deixar mesmo o Espírito Santo tocar no nosso coração para que possamos entender além do que apenas o texto nos diz: entender o que o Senhor tem pra nos dizer! O salmista fala em fazer isso todo dia ou o dia todo, o que nos faz pensar claramente na ideia de não descuidar da meditação na Palavra, tornar isso um hábito, algo "comum". Não no sentido de "simples", mas no sentido de algo que fazemos naturalmente, mas com total cuidado, atenção e respeito.

Ao fazermos isso, ao meditarmos na Palavra do Senhor, e mais que isso, ao observarmos os Seus preceitos, passamos a viver de acordo com a verdadeira sabedoria. Essa que, mais facilmente, temos apenas com o tempo e com a idade, dependendo ainda dos eventos que vivemos. Espiritualmente falando, amadurecemos e passamos a viver essa sabedoria real ao meditarmos e praticarmos as coisas da Palavra do Senhor.

Muitas vezes, nos apegamos em certos padrões morais para definir alguma coisa. Algo aparente, algo que pode ser visto, sentido ou até tocado, aquilo que chama a atenção. Mas essa "moralidade" é superficial. A verdadeira moralidade não reside no fato de observar padrões exteriores considerados corretos. Devemos nos separar do mal e nos apegarmos verdadeiramente à Palavra de Deus. Ao vivermos assim, iremos deixar de lado a maldade e a falsidade, vivendo em sinceridade, o que fundamenta a verdadeira moralidade, que vai além dos preceitos tidos como certos, indo para uma vida dedicada sinceramente ao querer do Senhor. E quem nos ensina a viver assim é o próprio Senhor. Logo, busquemos entendimento na Sua Palavra, deixemos Ele mesmo nos falar e passemos decididamente para uma verdadeira espiritualidade, que brota de um coração sincero nas coisas do Senhor e não apenas de atitudes. As atitudes são reflexo e consequência dessa vida de busca real e sincera das coisas do Senhor! Não é algo imposto moral ou socialmente, mas algo que vem de uma vida no altar!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 21/01/10 por e-mail.