Deixa o Espírito operar

19/01/2010


Atos dos Apóstolos 5.12-16

12 Muitos sinais e prodígios eram feitos entre o povo pelas mãos dos apóstolos. E estavam todos de comum acordo no pórtico de Salomão.
13 Dos outros, porém, nenhum ousava ajuntar-se a eles; mas o povo os tinha em grande estima;
14 e cada vez mais se agregavam crentes ao Senhor em grande número, tanto de homens como de mulheres,
15 a ponto de transportarem os enfermos para as ruas, e os colocarem em leitos e macas, para que ao passar Pedro, ao menos sua sombra cobrisse alguns deles.
16 Também das cidades circunvizinhas afluía muita gente a Jerusalém, conduzindo enfermos e atormentados de espíritos imundos, os quais eram todos curados.

Os apóstolos estavam reunidos em um lugar estratégico. Entenderam onde deveriam ficar e lá realizavam a obra do Senhor. Havia um mesmo propósito entre eles, pois estavam de comum acordo, e sabiam o que tinham que fazer. Não fugiram da atuação que tinham e deixaram o Espírito Santo agir neles e através deles, o que fez o povo querer ver e viver aquele mover que Deus fazia através da vida daqueles homens. Eles estavam em um lugar estratégico e o povo queria ir ao encontro deles. Não precisavam sair nesse momento atrás do povo (chegaria a hora...), mas o povo tinha informações e queria ver, sentir e viver o mover de Deus.

Hoje em dia sabemos de alguns casos de infiltrações na comunidade de fé por parte de pessoas que não vivem o cristianismo, mas se passam por pessoas muito espirituais, que fazem parte de comunidades apenas para causar problemas. Muitos já relataram isso. Já faz algum tempo que não tenho esse tipo de notícia, mas li livros, artigos e ouvi muitas coisas a respeito disso. Nos dias dos apóstolos isso poderia acontecer também! Ou, pelo menos, alguém poderia tentar ganhar a confiança para trazer problemas depois. A conversão de Saulo (depois, Paulo) passou por essa desconfiança num primeiro momento, mas veremos isso no devido tempo. O texto de hoje nos mostra que os apóstolos estavam em seu local de trabalho missionário, mas que muitos não se chegavam. Talvez esses que trariam problemas, talvez outros que tentassem dividir a atenção e tentariam enganar o povo, não sei bem ao certo, mas o que sei é que o texto revela que havia quem não se aproximava. E havia quem "disputava espaço" para ao menos ser agraciado com a sombra de Pedro! Logo, o texto revela que temos pelo menos 3 grupos nessa parte: os apóstolos, o povo que ia na direção do que os apóstolos faziam e o grupo dos que não se aproximavam, por qualquer motivo que fosse. Mas, entendo, esse grupo não estava de acordo com a obra ali realizada, pois se estivesse a favor, chegaria com o grupo dos que iam atrás do que estava ocorrendo. O Senhor manteve distante nesse momento quem poderia trazer problemas, aqueles que, pelo menos, precisavam de mais tempo e ações para pensar mais no assunto. E tocou os que já estavam prontos para ver, sentir e viver o que Ele fazia através dos apóstolos. E isso pode acontecer em nossos dias também!

Os apóstolos continuavam como testemunhas em Jerusalém. Mas as notícias já se espalhavam por outros lugares e de cidades vizinhas já tínhamos pessoas querendo saber o que acontecia e querendo experimentar o mover de Deus. O testemunho dos apóstolos aqui já ultrapassava Jerusalém, talvez chegando a Judeia (pensando no texto de Atos 1.8).

Como a obediência foi a marca desse povo, o Senhor fazia a obra através deles e na vida deles. Essa deve ser a nossa postura: obediência. Claro que nossa postura de obediência vai incluir trabalho, mas aquele que o Senhor nos enviar a fazer. Não devemos fazer nada além do que o Senhor nos mandar fazer, mesmo que pareça certo ou digno! Os apóstolos poderiam pregar em outros lugares, e pregar nunca será tido como algo ruim! Mas, nesse momento, era para ficar onde estavam. Chegaria a hora de ir a outros lugares. Qualquer coisa que passe do que o Senhor nos mandou fazer é ir na direção da desobediência. E qualquer coisa que falte, também. Por isso, devemos entregar nossa vida ao Senhor e deixar o Espírito Santo nos direcionar pelo caminho que devemos trilhar, realizando o querer do Senhor em todo o tempo. Assim, como os apóstolos no relato do livro de Atos, poderemos experimentar em nossa vida o mover de Deus e poderemos agir como vasos para honra, exaltando e manifestando o Senhor para a sociedade.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 19/01/10 por e-mail.