Somos chamados para amar

06/01/2010

 

Cantares 8.7

7 As muitas águas não podem apagar o amor, nem os rios afogá-lo. Se alguém oferecesse todos os bens de sua casa pelo amor, seria de todo desprezado.

O livro de Cantares é muito diferente de qualquer outro livro bíblico. Ele merece consideração especial, pois apresenta, de um modo novo, as realidades básicas das relações humanas. Cantares emprega linguagem simbólica para expressar verdades eternas, em semelhança ao Livro de Apocalipse. Muitos, pensam apenas na questão do relacionamento homem-mulher, o que é uma realidade nesse texto, mas ele vai além!

Encontramos as descrições da mulher sulamita juntamente com uma exibição completa dos produtos de seu jardim. Isso deve ser entendido como um paralelo poético do amor conjugal (homem-mulher) e também como bênçãos ao povo da aliança em sua terra.

Além desse amor tão claramente descrito nesse livro, podermos realizar uma interpretação espiritual do casamento do Noivo (Jesus) com sua noiva (a Igreja). Claro que essa interpretação é mais fácil para nós hoje do que quando o livro foi escrito, mas quando o povo judeu começou a esperar pelo Messias, essa interpretação já era possível.

Com isso, pensando também na união de Cristo com a Noiva (a Igreja - os salvos, perdoados, redimidos e justificados em Jesus), pensamos claramente no chamado ao amor. Para ser Igreja, para ser parte do povo de Deus, temos que expressar, viver, pregar e anunciar esse amor. Não apenas dizer dele, mas viver mesmo. Expressá-lo na comunidade de fé, para com outras pessoas que ainda não aceitaram o Evangelho, sem contar com aqueles que conhecem a verdade e acabam falhando. Muitos de nós prefere ficar acusando ou "apontando os dedos" para alguém que comete um erro, depois de ter conhecido o Evangelho. Mas se Jesus fizesse o mesmo, Pedro teria o mesmo fim que teve Judas, não é mesmo? Pedro negou Jesus, mas pode desfrutar do perdão e retornar ao grupo de seguidores para anunciar o Evangelho.

Amar. Mandamento que Jesus nos deixou, resumindo a Lei e os Profetas, quando nos chama a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo  como a nós mesmos. Pregar, parece até fácil, pois basta jogar ao vento as palavras. Mas além de pregar, devemos mostrar com nossas atitudes que vale a pena viver esse amor. Nós somos chamados a isso e devemos buscar inspiração no Espírito Santo para viver da forma correta.


Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 06/01/10 por e-mail.