Somos chamados para orar

09/12/2009

 

Salmo 142

1 Com a minha voz clamo ao Senhor; com a minha voz ao Senhor suplico.
2 Derramo perante ele a minha queixa; diante dele exponho a minha tribulação.
3 Quando dentro de mim esmorece o meu espírito, então, tu conheces a minha vereda; no caminho em que eu ando, ocultaram-me um laço.
4 Olha para a minha mão direita e vê, pois não há quem me conheça; refúgio me faltou; ninguém se interessa por mim.
5 A ti, ó Senhor, clamei; eu disse: Tu és o meu refúgio, o meu quinhão na terra dos viventes.
6 Atende ao meu clamor, porque estou muito abatido; livra-me dos meus perseguidores, porque são mais fortes do que eu.
7 Tira-me da prisão, para que eu louve o teu nome; os justos me rodearão, pois me farás muito bem.


Sabemos que muitos salmos são orações e canções. Normalmente, declarações de fé e esperança, ou ainda uma forma de confrontar um momento de chateação com algo que o Senhor já fez, na esperança de uma nova solução, uma nova direção, uma mudança em um quadro ruim. Mas este salmo se mostra mais como uma oração realmente. Uma linda conversa do salmista com Deus e um formidável convite a todos nós: somos chamados para orar, para buscar ao Senhor em oração.

Orar nada mais é do que conversar com Deus. Muitas vezes queremos pensar em palavras bonitas e de impacto para dizer em uma oração, mas isso não é necessário. Não quer dizer que isso não deva ser feito, apenas não devemos nos preocupar em fazer de nossas orações uma verdadeira sessão plenária do Senado Federal ou ainda uma reunião do Supremo Tribunal Federal. Podemos usar essas palavras menos usadas na linguagem coloquial, mas como pode ser em qualquer conversa! Não é porque estamos orando que temos que usar palavras difíceis.

Como orar é uma conversa, não podemos esquecer que "conversa" nos remete a pelo menos, duas pessoas tratando de um assunto. Não é monólogo. Podemos ouvir a Deus no meio de nossas orações. Quer seja com voz audível, quer seja com um toque no coração, um pensamento ou das mais variadas formas! Claro que devemos tomar cuidado para discernir isso, para não agirmos de forma errada achando que veio de Deus algo que não veio, mas o Espírito Santo nos mostra isso claramente, quando nos dedicamos a buscar a vontade do Senhor com sinceridade. Não devemos descuidar da oração em momento algum, em nossas atividades e no nosso dia a dia. Não como ato mecânico, mas como representação da vontade de conversar com Deus, que sabe o que você quer ou precisa, mas como na época do Jardim do Éden, gosta de uma conversa "na viração do dia". Não necessariamente com hora marcada, claro, mas fica o exemplo desse momento para nos mostrar que somos chamados para a oração, para a busca e para a conversa com Deus, apresentando nossa fala e prontos para ouvir ou entender aquilo que Ele tem a nos dizer ou mostrar.


Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 09/12/09 por e-mail.