Salmo 119.57-64

03/12/2009

 


57 O Senhor é o meu quinhão; prometo observar as tuas palavras.
58 De todo o meu coração imploro o teu favor; tem piedade de mim, segundo a tua palavra.
59 Quando considero os meus caminhos, volto os meus pés para os teus testemunhos.
60 Apresso-me, não me detenho, em observar os teus mandamentos.
61 Enleiam-me os laços dos ímpios; mas eu não me esqueço da tua lei.
62 À meia-noite me levanto para dar-te graças, por causa dos teus retos juízos.
63 Companheiro sou de todos os que te temem, e dos que guardam os teus preceitos.
64 A terra, ó Senhor, está cheia da tua benignidade; ensina-me os teus estatutos.


Este trecho refere-se a 8ª letra do alfabeto hebraico -
ח - "heth".

Quando observamos a Palavra do Senhor, podemos notar como estão nossas atitudes, como tem sido nossa vida, com relação ao querer de Deus. Por isso precisamos conhecer a Palavra, conhecer o querer do Senhor: para que possamos agir de acordo com o querer Dele ou corrigir aquilo que ainda carece de acerto diante do Pai.

Não devemos nos limitar a buscar ao Senhor apenas no horário das atividades cúlticas. O salmista fala sobre dar graças até mesmo a meia noite. Muitos de nós talvez nem estejamos dormindo nesse horário, mas imaginemos essa busca do salmista como um horário de sono, deixado de lado para buscar ao Senhor. Pode ter certeza que vale a pena!

Podemos ver manifestações de Deus em todas as coisas. A natureza revela a Deus a cada dia, a cada noite. Mas para que possamos entender essa revelação, devemos buscar no Senhor o entendimento e o discernimento. Apesar de ser algo tão claro, nós não conseguimos entender de fato se não for por revelação do próprio Deus. Isso porque a condição humana olha naturalmente para as coisas ruins que acontecem ao nosso redor. E se deixarmos esse olhar "falar mais alto", não vamos conseguir ver aquilo que o Senhor tem para nos mostrar. Deixe o Senhor se revelar a você, busque a Sua presença e desfrute da alegria do cuidado e da manifestação do Senhor.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 03/12/09 por e-mail.