Somos chamados para unidade e busca

02/12/2009

 

Salmo 133

1 Oh! Quão bom e quão suave é que os irmãos vivam em união!
2 É como o óleo precioso sobre a cabeça, que desce sobre a barba, a barba de Arão, que desce sobre a gola das suas vestes;
3 como o orvalho de Hermom, que desce sobre os montes de Sião; porque ali o Senhor ordenou a bênção, a vida para sempre.


Neste texto pensamos facilmente na questão da unidade na comunidade de fé. Que os irmãos devem viver unidos para que a bênção do Senhor esteja sobre a comunidade. E isso é fato! Não vou contrariar essa realidade. Não quer dizer que não tenha problemas caso a unidade seja completa, mas é fato que se os problemas aparecerem, se houver unidade, fica muito mais fácil enfrentar e dar testemunho da manifestação do Senhor, da bênção e do cuidado do Pai. A unidade dos irmãos fortalece o corpo de Cristo! A comunidade de Atos tinha problemas como prisões e perseguições. Mas, como tinham tudo em comum, um cuidava do outro!

Mas quero ir além nesse texto: vamos pensar na questão da unidade também com o Senhor. Cada um de nós é responsável individualmente por sua busca. Um pode ajudar ao outro, um pode chamar, mostrar, ajudar ao outro, mas a decisão de busca das coisas do Senhor é individual. Eu vou continuar ensinando meu filho no caminho que ele deve andar, nas coisas do Senhor, mas Deus tem filhos, não netos! Um dia, meu filho terá que tomar a decisão por ele mesmo e fazer a sua busca pessoal. Minha responsabilidade é mostrar que esse é o melhor caminho, ser exemplo, dar sugestões e ensinamentos. Mas a decisão é dele!

Para que seja completa a união descrita neste salmo, temos que pensar nas duas situações: na união com o Senhor e na união com meu irmão. E isso será uma grande bênção de fato, pois teremos como testemunhar diante do mundo tanto a necessidade de união uns com os outros, como com o Senhor. Não uma união que aceita tudo, até mesmo forçada ou artificial. Mas uma união onde conseguimos entender o outro, aceitamos as diferenças e nos focamos no que nos une: a busca pela vontade do Senhor. Nunca iremos pensar a mesma coisa em todos os assuntos. Uns, como eu, vão ser Corinthianos, outros Palmeirenses. Uns, como eu, vão gostar mais de assistir Tênis ou Fórmula 1 como esporte, outros vão preferir o Futebol mesmo. Ou ainda, uns gostarão de um gênero musical e outros vão gostar de outro. Mas quando as diferenças não estão nas coisas da busca pela santidade e pela vontade do Senhor, devemos superar isso e manter a união na busca do querer do Pai. Essa busca, aliada a nossa união, permitirá que a bênção do Senhor se manifeste completamente em nossa vida, tanto individualmente como em comunidade e esse testemunho vai impactar mais que muitas palavras, pode ter certeza disso!


Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 02/12/09 por e-mail.