O bom amigo

06/11/2009

 

do site: ilustrar.com.br

e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz - Colossenses 2.14

Certo homem cometeu um crime, e foi trazido perante o tribunal, sentiu-se grandemente encorajado quando notou que o juiz era seu melhor amigo. O culpado ficou certo de que o juiz “daria um jeito” na lei para ajudá-lo.

O juiz no entanto, não poderia abusar da justiça; sentenciou seu amigo a pagar uma multa elevada.

O culpado ficou em pé ali, desiludido e não querendo crer no que ouvia, enquanto observava o juiz, que, sem vacilar, levantou-se para deixar a sala do tribunal. Sua decepção e desespero, no entanto, transformaram-se em grande alegria quando soube que o juiz parou no guichê da tesouraria do tribunal e pessoalmente pagou a fiança e toda a dívida do culpado.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 06/11/09 por e-mail.