Somos chamados para descansar

23/09/2009

 

Salmo 91

Sob a sombra do Altíssimo

1 Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Todo-Poderoso descansará.
2 Direi do Senhor: Ele é o meu refúgio e a minha fortaleza, o meu Deus, em quem confio.
3 Porque ele te livra do laço do passarinho, e da peste perniciosa.
4 Ele te cobre com as suas penas, e debaixo das suas asas encontras refúgio; a sua verdade é escudo e broquel.
5 Não temerás os terrores da noite, nem a seta que voe de dia,
6 nem peste que anda na escuridão, nem mortandade que assole ao meio-dia.
7 Mil poderão cair ao teu lado, e dez mil à tua direita; mas tu não serás atingido.
8 Somente com os teus olhos contemplarás e verás a recompensa dos ímpios.
9 Porquanto fizeste do Senhor o teu refúgio, e do Altíssimo a tua habitação,
10 nenhum mal te sucederá, nem praga alguma chegará à tua tenda.
11 Porque aos seus anjos dará ordem a teu respeito, para te guardarem em todos os teus caminhos.
12 Eles te susterão nas suas mãos, para que não tropeces em alguma pedra.
13 Pisarás o leão e a áspide; calcarás aos pés o filho do leão e a serpente.
14 Pois que tanto me amou, eu o livrarei; pô-lo-ei num alto retiro, porque ele conhece o meu nome.
15 Quando ele me invocar, eu lhe responderei; estarei com ele na angústia, livra-lo-ei, e o honrarei.
16 Com longura de dias farta-lo-ei, e lhe mostrarei a minha salvação.


Este salmo é atribuído ao período de peregrinação no deserto, depois da saída do Egito. Tudo indica que foi Moisés o seu autor. Até pode fazer referência ao evento da primeira páscoa, ainda no Egito, quando fala sobre os que caem, talvez fazendo alusão a morte dos primogênitos. Mas o salmo deve lembrar desse evento, sendo datado de momento posterior mesmo, durante o tempo do deserto.

Pensando nessa possibilidade, imaginemos o ambiente extremamente hostil de um deserto: muito calor durante o dia, muito frio durante a noite, sem acomodações agradáveis, sem comida ou água, e por aí vai. Sabemos que o Senhor sustentou o povo e que até mesmo as roupas foram poupadas durante esse tempo de peregrinação no deserto.

Com isso, o autor do salmo deixa claro que não importa a dificuldade enfrentada, desde que estejamos descansando no esconderijo do Altíssimo. Devemos estar escondidos no Senhor, confiando no Seu cuidado, desfrutando do Seu carinho e amor, não importando a dificuldade. Elas podem até existir, mas sabemos que seremos supridos no Senhor se estivermos no esconderijo do Altíssimo.

Se o povo passou pelo tempo no deserto com todas as dificuldades possíveis nesse tipo de ambiente, é porque podemos confiar no Senhor, que nos ajudará, cuidará de nós no meio das crises e nos dará vitória. Nos fortalecerá para enfrentarmos a dificuldade, nos dará a sabedoria para a vitória e nos levará por esse caminho vitorioso. Muitas vezes olhamos para as dificuldades que se levantam e desanimamos. Elas estarão diante de nós! Não temos como fugir completamente das mesmas enquanto estamos por aqui, porque no mundo temos aflições! Mas temos também a certeza que no Senhor somos mais que vencedores. A fé deve estar fundamentada nisso. Quando as dificuldades aparecerem, busquemos no Senhor a força e a direção para enfrentar. E quando as coisas estiverem em ordem, louvemos ao Senhor por conta da vitória ou até mesmo do livramento. Afinal, vitória nós temos quando passamos pela dificuldade e saímos dela com o cuidado do Senhor para vivermos o melhor. E livramento, é quando o Senhor nos livra de problemas e nós nem passamos por eles e muitas vezes, nem ficamos sabendo que eles estavam chegando.

Assim, busquemos ao Senhor em todo o tempo! Quer para buscar direção e força para enfrentar um problema e muito mais para louvá-Lo a cada dia, independente de vitórias ou livramentos, pois o Senhor é digno de todo o louvor!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 23/09/09 por e-mail.