Deixar o erro está sempre em pauta

11/08/2009

 

Neemias 13.23-29

23 Vi também, naqueles dias, judeus que tinham casado com mulheres asdoditas, amonitas, e moabitas;
24 e seus filhos falavam no meio asdodita, e não podiam falar judaico, senão segundo a língua de seu povo.
25 Contendi com eles, e os amaldiçoei; espanquei alguns deles e, arrancando-lhes os cabelos, os fiz jurar por Deus, e lhes disse: Não darei vossas filhas a seus filhos, e não tomareis suas filhas para vossos filhos, nem para vós mesmos.
26 Não pecou nisso Salomão, rei de Israel? Entre muitas nações não havia rei semelhante a ele, e ele era amado de seu Deus, e Deus o constituiu rei sobre todo o Israel. Contudo, mesmo a ele as mulheres estrangeiras o fizeram pecar.
27 E dar-vos-íamos nós ouvidos, para fazermos todo este grande mal, esta infidelidade contra o nosso Deus, casando com mulheres estrangeiras?
28 Também um dos filhos de Joiada, filho do sumo sacerdote Eliasibe, era genro de Sambalate, o horonita, pelo que o afugentei de mim.
29 Lembra-te deles, Deus meu, pois contaminaram o sacerdócio, como também a aliança sacerdotal e levítica.


Você lembra qual era a recomendação para o povo quando entrasse na Terra Prometida? Eles não deveriam se misturar com os povos da terra. Mas neste caso, possivelmente esse processo ocorreu por conta do Exílio e por estarem fora da terra. Mas quando eles voltaram para casa, Neemias nota que havia essa mistura com outros povos e que isso não era bom, afinal cada povo teria sua cultura e a sua própria forma de encarar as coisas da religiosidade.

Ele cita até mesmo Salomão como exemplo. Um homem sábio e amado por Deus, mas que ao se casar com mulheres de outras culturas e povos, acabou encontrando seu maior erro, pois acabou sendo conivente com formas erradas de se encarar a fé, a partir do ponto de vista judaico. E se um homem amado por Deus da forma como foi Salomão encontrou problemas nessa área, era necessário que todos tomassem cuidado, pois o erro poderia bater na porta de qualquer um.

Diante deste texto, somos chamados a avaliar como tem sido nossa vida. Será que temos deixado de lado os valores de Deus para atender outras pessoas? Será que temos deixado a vontade de Deus para fazer o que parece melhor? Muitas vezes o erro pode ser claro, facilmente notável, e acredito que esses nós conseguimos entender e deixar logo. Mas... e quando não parece errado? Será deixamos a nossa vontade para fazer a vontade de Deus? Nem sempre só porque é certo é a vontade de Deus para nós. Pode até ser certo, claro, mas Deus quer que façamos outra coisa certa. Não é apenas pelo crivo do "ser certo" que devemos avaliar nossas atitudes. Mas, além de "ser certo", deve ser a vontade de Deus para nós. Afinal, será que é errado querer ser missionário, por exemplo? Claro que não! Em certa medida, todos somos, pois estamos envolvidos com missões o tempo todo, quer orando, quer contribuindo, anunciando por onde andamos ou até mesmo deixando tudo para ir na direção do chamado missionário. Mas, nem todos irão deixar as coisas para trás para ir "ao campo". Não é errado ser missionário, mas nem todos irão para "outros povos". Logo, além de ser certo, deve ser a vontade de Deus para nós para realizarmos.

Avalie o que você tem vivido. Fuja do errado. E mais que isso, busque a vontade de Deus para sua vida. Não faça apenas o "certo", mas faça o certo seguindo a vontade do Senhor. Mesmo que seja algo considerado "certo", se não for a vontade de Deus para você, deixe esse caminho e busque o certo que é a vontade de Deus para você. Claro que o caminho errado, será mais fácil de notarmos e deixarmos (assim espero!). Mas não fuja da vontade de Deus. Creia e viva as promessas da parte de Deus para você, seguindo debaixo da vontade Dele. E se algo está errado, quer por ser um caminho errado, ou porque não é a confirmação da vontade de Deus para você, deixe! Siga sempre o certo, debaixo da vontade de Deus.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 11/08/09 por e-mail.