Dedicação: tempo de união e purificação

16/06/2009

 

Neemias 12.27-43

27 Ora, na dedicação dos muros de Jerusalém, buscaram os levitas de todos os lugares, para os trazerem a Jerusalém, a fim de celebrarem a dedicação com alegria e com ações de graças, com canto, címbalos, alaúdes e harpas.
28 Ajuntaram-se os filhos dos cantores, tanto da campina dos arredores de Jerusalém, como das aldeias do netofatitas;
29 como também de Bete-Gilgal, e dos campos de Geba e Azmavete; pois os cantores tinham edificado para si aldeias ao redor de Jerusalém.
30 E os sacerdotes e os levitas se purificaram, e purificaram o povo, as portas e o muro.
31 Então, fiz subir os príncipes de Judá sobre o muro, e constituí duas grandes companhias para darem graças e andarem em procissão, uma das quais foi para a direita sobre o muro, em direção à porta do monturo;
32 e após ela seguiam Hosaías, e a metade dos príncipes de Judá,
33 e Azarias, Esdras, Mesulão,
34 Judá, Benjamim, Semaías, e Jeremias;
35 e dos filhos dos sacerdotes, levando trombetas, Zacarias, filho de Jônatas, filho de Semaías, filho de Matanias, filho de Micaías, filho de Zacur, filho de Asafe.
36 E seus irmãos, Semaías, Azarel, Milalai, Gilalai, Maai, Netanel, Judá e Hanani, com os instrumento musicais de Davi, homem de Deus; e Esdras, o escriba, ia adiante deles.
37 À entrada da porta da fonte subiram diretamente as escadas da cidade de Davi onde começa a subida do muro, acima da casa de Davi, até a porta das águas a leste.
38 A outra companhia dos que davam graças foi para a esquerda, seguindo-os eu com a metade do povo, sobre o muro, passando pela torre dos fornos até a muralha larga,
39 e seguindo por cima da porta de Efraim, e da porta velha, e da porta dos peixes, e pela torre de Hananel, e a torre dos Cem até a porta das ovelhas; e pararam à porta da guarda.
40 Assim, as duas companhias dos que davam graças pararam na casa de Deus, como também eu e a metade dos magistrados que estavam comigo,
41 e os sacerdotes Eliaquim, Maaséias, Miniamim, Micaías, Elioenai, Zacarias e Hananias, com trombetas,
42 com também Maaséias, Semaías, Eleazar, Uzi, Joanã, Malquias, Elão, e Ézer; e os cantores cantavam, tendo Jezraías por dirigente.
43 Naquele dia, ofereceram grandes sacrifícios e se alegraram, pois Deus lhes dera motivo de grande alegria; também as mulheres e as crianças se alegraram, de modo que o júbilo de Jerusalém se fez ouvir longe.


Era tempo de dedicar os muros da cidade! Levando em consideração que não adianta nada ter a sentinela se o cuidado do Senhor não for real, o tempo de dedicação é momento de mostrar para todos que o Senhor é reconhecido tanto pelo trabalho durante a obra, como se espera que Ele continue cuidado de todas as coisas. Cada um fará a sua parte, não vai esperar "cair do céu", mas a expectativa é que Deus ajude o povo no trabalho e no cuidado.

Assim, a primeira coisa que me chama a atenção nesse texto é essa disposição de dedicar ao Senhor. Não queriam fazer por conta própria e confiados apenas no próprio entendimento e capacidade. Iriam fazer sua parte, já tinham destacado pessoas para as diversas áreas, mas queriam ter a certeza de que contavam com o cuidado e apoio do Senhor.

A segunda coisa que me chama a atenção é a união declarada. Diz que buscaram os levitas de todos os lugares para esse ato. Não foi uma atividade isolada. Era algo da nação e todos deveriam se envolver e participar! Era tempo de acerto e dedicação, não apenas de alguns, mas da nação como um todo! E por isso, todos são chamados para participar. Exatamente porque a dedicação não era apenas um ato, mas era tempo de acerto, vejo o terceiro ponto que me chama a atenção nesse texto no versículo 30, que fala da purificação! Não adiantava apenas um rito de busca, mas era necessário compromisso com o Senhor. Muitos fazem algumas coisas e acham que apenas por fazer algo já está em ordem. Mas se não partir do coração primeiro, não adianta nada!

Assim, confiemos no Senhor. Contemos com Seu cuidado e apoio, declaremos nossa confiança no agir do Senhor. Coloquemos nossa vida em ordem diante de Deus, realizando Seu querer. E estejamos unidos como povo de Deus para mostrar aos que ainda não tiveram um encontro com o Senhor que vale a pena viver em comunidade!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 16/06/09 por e-mail.