Tempo de celebração

14/04/2009

 

Neemias 8.13-18

13 Ora, no dia seguinte ajuntaram-se os cabeças das casas paternas de todo o povo, os sacerdotes e os levitas, na presença de Esdras, o escriba, para examinarem as palavras da lei;
14 e acharam escrito na lei que o Senhor, por intermédio de Moisés, ordenara que os filhos de Israel habitassem em cabanas durante a festa do sétimo mês;
15 e que publicassem e fizessem passar pregão por todas as suas cidades, e em ramos de oliveiras, de zambujeiros e de murtas, folhas de palmeiras, e ramos de outras árvores frondosas, para fazerdes cabanas, como está escrito.
16 Saiu, pois, o povo e trouxe os ramos; e todos fizeram para si cabanas, cada um no eirado da sua casa, nos seus pátios, nos átrios da casa de Deus, na praça da porta das águas, e na praça da porta de Efraim.
17 E toda a comunidade dos que tinham voltado do cativeiro fez cabanas, e habitaram nelas; pois não tinham feito assim os filhos de Israel desde os dias de Josué, filho de Num, até aquele dia. E houve mui grande regozijo.
18 E Esdras leu no livro da lei de Deus todos os dias, desde o primeiro até o último; e celebraram a festa por sete dias, e no oitavo dia houve uma assembléia solene, segundo a ordenança.


Na passagem anterior, quando a lei começou a ser lida, o povo ficou com algumas tristezas diante do que não estavam vivendo e quem sabe até pensaram que não daria nada certo. Mas a proclamação foi se alegrar! Não era para ficar triste, mas se alegrar, pois aquela palavra poderia até parecer dura diante do que viviam até aquele momento, mas daquele tempo em diante, ela seria bênção. Bastava viver de acordo com a Palavra.

Diz o texto que o povo se alegrou, trocou presentes, fizeram uma grande celebração como Nação. Depois disso, o povo teve ânimo para continuar vendo o que a lei dizia. Se o desânimo tomasse conta naquele primeiro momento, nem teria como seguir. Mas a alegria da grande celebração nacional mudou a tristeza e trouxe novo ânimo. Antes, tristes, agora eles queria conhecer ainda mais a lei do Senhor e praticar a vontade de Deus!

Quantas pessoas desistem diante da primeira dificuldade. Claro que as dificuldades não trazem alegria! Ninguém quer passar por elas. Não estou incentivando ninguém a querer dificuldades. Mas elas aparecem! Elas acontecem. Há situações em nossa vida que vemos e vivemos a dificuldade. Isso em relação ao viver de acordo com a Palavra do Senhor, deixando algo que parece ser importante para nós, mas que faz mal espiritualmente. Ou até mesmo nos estudos, nos relacionamentos, no trabalho ou em qualquer área. As dificuldades aparecem, mesmo que não procuremos ou que as queiramos. E diante delas, temos algumas opções: ou nos desanimamos ou seguimos em frente. O povo viu a dificuldade entre o que vivia e a Lei e temeu, chorou, quase desistiu talvez. Mas o chamado para a alegria deu força para o povo enfrentar aquela tristeza, e novo ânimo a ponto de cada um querer conhecer mais ainda a vontade do Senhor. Em vez de desistir na primeira dificuldade, seguiram em frente para conhecer ainda mais do Senhor. Se tivessem deixado a tristeza falar mais alto no primeiro momento, não teriam vivido o momento seguinte, do texto de nossa meditação hoje. Mas como eles enfrentaram a tristeza, continuaram buscando conhecer a vontade do Senhor e passaram a praticar ainda mais o querer do Senhor. Em vez de desistir, foram mais fundo!

E notaram que Deus gosta mesmo de uma celebração. Não é um Senhor carrancudo, que está sempre sério e nervoso diante do erro, mas está sempre disposto a dar novo ânimo para o povo, para que possam seguir conhecendo e vivendo de acordo com a vontade Dele. Na celebração, na alegria, encontramos forças para deixar o erro e regarregamos as baterias para seguir em frente. Além, é claro, de render louvor ao Senhor!

O Senhor nos chama para a celebração. A celebração da vida que temos em Jesus, do cuidado de Pai que Ele tem conosco, de cada situação complicada que passamos, pois nelas vemos o cuidado do Senhor nos dando forças para enfrentar, de cada problema que é resolvido mesmo antes de entrarmos nele, pois vemos o livramento, ou ainda de cada vitória depois de enfrentar a dificuldade, pois muitos querem a vitória, mas não querem a batalha! Vitória sem batalha é livramento! Vitória mesmo é enfrentar a batalha e sair com a vitória! E em Cristo, por mais dificuldades que enfrentemos, somos mais que vencedores! Viva isso, siga em frente diante das dificludades. Mas não de qualquer forma! Siga em frente, buscando a vontade do Senhor, pois Ele dará a força e a direção para chegarmos no melhor que Ele mesmo tem para cada um de nós. Não deixe a tristeza abater você! Busque alegria no Senhor e saiba que você tem motivos não para desistir, mas para celebrar! Siga buscando a vontade do Senhor e viva o melhor que Deus tem para você!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 14/04/09 por e-mail.