Somos chamados para comunhão íntima

18/03/2009

 

Quando Moisés entrava na tenda da congregação para falar com o Senhor, ouvia a voz que lhe falava de cima do propiciatório, que está sobre a arca do testemunho entre os dois querubins; assim ele lhe falava - Números 7.89
 

Vemos em todo o livro de Números alguns acontecimentos muito interessantes da caminhada do povo em direção a terra Prometida. Talvez, de forma simples e resumida, possamos definir em 5 palavras os temas dos acontecimentos desse livro: Peregrinação, Provação, Rebelião, Punição e Proteção.

Ao pensar nesses temas e  no texto que nos motiva hoje, só posso pensar na necessidade de comunhão íntima com o Senhor. A rebelião que encontramos no livro é o único tema que nos afasta dessa realidade. Aliás, se a comunhão estivesse íntima, o povo não caminharia na direção da rebelião. Logo, mesmo quando nos afastamos do tema da comunhão com o Senhor, encontramos razões para defender a necessidade dessa comunhão.

Para peregrinar no deserto, para enfrentar provações, até mesmo na hora das punições por conta de rebeliões, e muito mais no momento de proteção, vemos a necessidade clara dessa busca de comunhão com o Senhor. Afinal, andar por andar não era a tônica do povo no deserto. Tinha que ser com a orientação do Senhor. A cada provação, se o Senhor não estivesse cuidando, protegendo, como também nos momentos de maior dificuldade, não seria possível passar por esse tempo no deserto. E até mesmo quando vemos a figura da punição, pois se fosse exagerada, não sobraria ninguém. Até nisso o Senhor foi cuidadoso com o povo. E, claro, a forma de punição servia para que os outros pudessem notar que o Senhor era realmente fiel em Suas propostas: quando seguiam a vontade Dele, tinham o cuidado e quando se afastavam dessa vontade, enfrentavam punições. Era também uma forma de ensinar!

Mas Moisés seguia em sua comunhão com o Senhor. Buscava e era atendido. É esse relacionamento que somos convidados a ter com o Senhor. Devemos ter intimidade com Ele nessa busca e saber ouvir o que o Senhor tem pra nos dizer. Muitas vezes queremos falar, apresentar nossas situações, mas devemos ter intimidade com o Senhor para saber ouvir. Quantas pessoas apresentam suas necessidades em oração e esperam respostas prontas, da forma como imaginam ser o melhor, e quando o Senhor responde, com o melhor mesmo, só que diferente do que a pessoa queria, ela nem nota a resposta. Muitos querem ter melhores chances no mercado profissional, mas não sabem observar chances que o Senhor permite conhecer. Querem ter bons estudos, mas não se preparam adequadamente. Esperam a resposta, mas querem exatamente a resposta do jeito que esperam, que acham que é a melhor opção. Mas se estivermos em comunhão íntima com o Senhor, saberemos discernir a nossa vontade e a vontade do Senhor. E se deixarmos a vontade do Senhor acontecer, pode ter certeza, vamos experimentar algo muito melhor que a nossa própria vontade! Busque essa comunhão com o Senhor, de forma íntima, verdadeira e profunda. Saiba que Ele tem sempre o melhor para você.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 18/03/09 por e-mail.