O Senhor está cuidando e fazemos nossa parte

17/03/2009

 

Neemias 7.1-4

1 Ora, depois que o muro foi edificado, tendo eu assentado as portas, e havendo sido designados os porteiros, os cantores e os levitas,
2 pus Hanani, meu irmão, e Hananias, governador do castelo, sobre Jerusalém; pois ele era homem fiel e temente a Deus, mais do que muitos;
3 e eu lhes disse: Não se abram as portas de Jerusalém até que o sol aqueça; e enquanto os guardas estiverem nos postos se fechem e se tranquem as portas; e designei dentre os moradores de Jerusalém guardas, cada um por seu turno, e cada um diante da sua casa.
4 Ora, a cidade era larga e grande, mas o povo dentro dela era pouco, e ainda as casas não estavam edificadas.

 

O muro estava reconstruído. As portas foram assentadas. Era hora de nova organização. Durante a obra, cada um trabalhou na frente de sua casa e já cuidava de sua parte. Mas agora, a cidade estava murada novamente e a parte que deveria ser cuidada era o portão. Na antiguidade, cidades muradas e com portões, normalmente eram abertas ao nascer do sol e fechadas ao fim do dia. Ninguém entrava ou saia da cidade sem sol. Mas Neemias amplia o tempo em que a cidade deveria estar com os portões fechados: a orientação era abrir só quando o sol estivesse quente! Um pouco mais tarde que depois do nascer do sol.

Ainda havia ameaça de inimigos, de pessoas que queriam que a obra não seguisse em frente. Afinal, apesar do muro estar reconstruído e as portas assentadas, ainda havia a necessidade de reconstruir as casas. Talvez algumas casas estivessem em ordem, mas muitas ainda precisavam de reparos. Não tinha sido apenas destruído o muro, mas a cidade. Além desses que já se mostravam contra a obra, outros povos poderiam se preocupar em ver novamente aquela nação se reorganizando e poderia pensar que durante o trabalho de reconstrução, o povo ainda estaria vulnerável. Era necessário contar com o cuidado do Senhor e, para mostrar aos povos que a nação estava realmente decidida em se reorganizar, era preciso também dar mostras dessa organização.

Neemias fez isso com relação a organização política e de cuidado, de segurança. Nomeia pessoas para a liderança política, mas também faz designação de porteiros, levitas, cantores..., enfim, faz a organização de Israel. A tentativa era se aproximar da organização que existiu antes do exílio e Neemias trabalha por isso. Ele era o responsável político pelo trabalho, mas ele não podia esquecer que era copeiro do rei, homem de confiança e lá no começo, o rei deu autorização para ele ir cuidar de sua terra, mas o rei queria saber quando ele voltaria (2.6). Logo, ele tinha que deixar nova liderança estabelecida, para quando ele tivesse que voltar para o trabalho real.

Claro que devemos confiar no Senhor. Esperar Nele a resposta e o cuidado. Mas devemos seguir atentos em nossa caminhada. Há momentos em que devemos esperar, manter posição. Agora, há momentos que devemos agir. Nossa atuação não anula a certeza que Deus está no controle e que o cuidado vem Dele. Mas precisamos fazer a nossa parte. Muitos, querem fazer além, acham que devem fazer muito mais, e outros apenas esperam. Que o Senhor nos oriente em quando devemos esperar e quando devemos agir. Nem sempre ficar parado é a nossa opção. Neemias creu no cuidado do Senhor, mas mesmo assim buscou formas de atuação para encaminhar a situação. Mas ele sabia que todas as medidas tomadas não seriam nada se não fosse o cuidado do Senhor. Por isso, escolheu pessoas tementes a Deus. Assim, estejamos atentos para o que devemos fazer e realizemos o que é a nossa parte! O maná caiu no campo e o povo tinha que recolher! Não caiu na dispensa ou na boca do povo. Muitas vezes, o Senhor vai agir assim: fará acontecer o melhor, mas ainda assim, devemos estar bem atentos ao que nós devemos fazer para que o cuidado do Senhor se manifeste. Que Ele nos oriente e estejamos prontos para agir em nome do Senhor e contar com o cuidado Dele.

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 17/03/09 por e-mail.