Salmo 98

15/01/2009

 

A justiça do Senhor
Salmo

1 Cantai ao Senhor um cântico novo, porque ele tem feito maravilhas; a sua destra e o seu braço santo lhe alcançaram a vitória.
2 O Senhor fez notória a sua salvação, manifestou a sua justiça perante os olhos das nações.
3 Lembrou-se da sua misericórdia e da sua fidelidade para com a casa de Israel; todas as extremidades da terra viram a salvação do nosso Deus.
4 Celebrai com júbilo ao Senhor, todos os habitantes da terra; dai brados de alegria, regozijai-vos e cantai louvores.
5 Louvai ao Senhor com a harpa; com a harpa e a voz de canto.
6 Com trombetas e ao som de buzinas, exultai diante do Rei, o Senhor.
7 Brame o mar e a sua plenitude, o mundo e os que nele habitam;
8 batam palmas os rios; à uma regozijem-se os montes
9 diante do Senhor, porque vem julgar a terra; com justiça julgará o mundo e os povos, com equidade.



Um convite para a declaração do louvor, da gratidão. Um salmo que deixa claro que o Senhor derrama bênçãos, demonstra o cuidado, a misericórdia, a salvação (e aqui, salvação está ligada com libertação de opressor ou auxílio para sair de um problema). Como o Senhor manifesta seu cuidado, somos chamados ao louvor, a expressar nossa gratidão.

Mas... esse cuidado se revela a cada dia, notamos diante de várias situações e acontece sempre. Logo, podemos nos acostumar com isso e apenas seguir em frente. Por isso o convite a um cântico novo: porque cada ato do Senhor é novo, ainda que já tenha acontecido em outro momento da história. Se é assim, novo louvor deve ser expressão dessa novidade a cada momento. Não podemos cair no "lugar comum" na atuação do Senhor. Ela é nova a cada momento, Suas misericórdias se renovam a cada manhã. Nosso louvor e nossa gratidão precisam levar isso em conta. Não quer dizer que a cada momento teremos que cantar um novo cântico, inédito, ao Senhor. Mas nossa expressão de louvor deve ser nova a cada momento, contemplando a realidade de que, mesmo que o Senhor faça algo que já fez em outra oportunidade, ainda assim essa é uma nova atuação, uma nova manifestação. Nosso viver precisa expressar essa novidade a cada dia, porque como seres humanos podemos naturalmente nos acostumar com algo e isso passa a ser comum. Mas a atuação do Senhor não é assim. É nova a cada momento. E nossa vida precisa testemunhar isso.

Além dos seres humanos, a própria natureza revela esse louvor a cada momento. Uma vez tive a oportunidade de ver uma planta "batendo palmas". As folhas largas se mexiam como no movimento de bater palmas. Alguém pode dizer: "quando há vento, as folhas das plantas mexem normalmente". Só que há um detalhe: as pessoas que viram aquilo comigo, como eu, não sentiram o vento. A planta batia palmas mesmo!

Quando unimos nosso louvor com o louvor expresso pela natureza, fazemos um lindo coral de louvor e gratidão ao Senhor. Um coral que expressa em novidade de vida e atitude a gratidão e o louvor com um cântico novo a cada momento. Não apenas músicas inéditas, mas o reconhecimento de que o Senhor agiu novamente. Não apenas que fez algo até mesmo que já tinha feito em outro momento da história, mas fez outra vez. É algo novo e nosso louvor deve levar isso em conta. Não podemos deixar o "comum" tomar conta do que o Senhor faz, pois mesmo que seja igual, será novo, será uma nova atuação do Senhor. E o nosso louvor não pode ser como o de alguém que já viu apenas. Devemos, claro, reconhecer que o Senhor já fez, mas nossa atitude de louvor não pode apenas levar em conta o que já foi, mas que mais uma vez o Senhor fez. Expressar nova gratidão, novo reconhecimento, sabendo que Ele está no controle sempre e age a cada momento novamente.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 15/01/09 por e-mail.