Em oração

06/01/2009

 

Neemias 1

1 Palavras de Neemias, filho de Hacalias. Ora, sucedeu no mês de quisleu, no ano vigésimo, estando eu em Susã, a capital,
2 que veio Hanani, um de meus irmãos, com alguns de Judá; e perguntei-lhes pelos judeus que tinham escapado e que restaram do cativeiro, e acerca de Jerusalém.
3 Eles me responderam: Os restantes que ficaram do cativeiro, lá na província, estão em grande aflição e opróbrio; também está derribado o muro de Jerusalém, e as suas portas queimadas a fogo.
4 Tendo eu ouvido estas palavras, sentei-me e chorei, e lamentei por alguns dias; e continuei a jejuar e orar perante o Deus do céu,
5 e disse: Ó Senhor, Deus do céu, Deus grande e temível, que guardas o pacto e usas de misericórdia para com aqueles que te amam e guardam os teus mandamentos:
6 Estejam atentos os teus ouvidos e abertos os teus olhos, para ouvires a oração do teu servo, que eu hoje faço perante ti, dia e noite, pelos filhos de Israel, teus servos, confessando eu os pecados dos filhos de Israel, que temos cometido contra ti; sim, eu e a casa de meu pai pecamos;
7 na verdade, temos procedido perversamente contra ti, e não temos guardado os mandamentos, nem os estatutos, nem os juízos, que ordenaste a teu servo Moisés.
8 Lembra-te, pois, da palavra que ordenaste a teu servo Moisés, dizendo: Se vós transgredirdes, eu vos espalharei por entre os povos;
9 mas se vos converterdes a mim, e guardardes os meus mandamentos e os cumprirdes, ainda que os vossos rejeitados estejam na extremidade do céu, de lá os ajuntarei e os trarei para o lugar que tenho escolhido para ali fazer habitar o meu nome.
10 Eles são os teus servos e o teu povo, que resgataste com o teu grande poder e com a tua mão poderosa.
11 Ó Senhor, que estejam atentos os teus ouvidos à oração do teu servo, e à oração dos teus servos que se deleitam em temer o teu nome; e faze prosperar hoje o teu servo, e dá-lhe graça perante este homem. (Era eu, então, copeiro do rei.)



Logo no iníco do texto de Neemias, vemos a definição de qual Neemias o texto está falando. Ele era filho de Hacalias. Essa era a forma utilizada para definir sobre quem estava sendo escrito ou revelar a sua própria identidade, caso o autor do texto fosse o mesmo que dá nome ao livro. No mundo antigo, a ideia de direitos autorais não era tão presente e a preocupação de quem escrevia um texto, se falava sobre outra pessoa ou sobre a ideia de outra pessoa, era dar ênfase no que era a ideia ou a história dessa pessoa. Aí, os textos parecem até mesmo escritos pela própria pessoa. Neste caso, parece que Neemias escreveu ao menos uma parte do livro que leva seu nome. No presente capítulo vemos ele se referindo a si mesmo na primeira pessoa ("eu"). Normalmente, quando o texto é escrito por outra pessoa, vemos o autor falando na terceira pessoa ("ele"). Alguns textos misturam o "eu" e o "ele" no conteúdo do livro, indicando a possibilidade de a pessoa ter começado a escrever algo e outra pessoa ter completado. Essa é apenas uma dica, que não necessariamente se aplica a todos os textos, claro, nem de longe é técnica de exegese, mas ajuda um pouco nessa direção de autoria.

O que Neemias quer saber é como andam as coisas na terra de Israel. Ele estava no cativeiro, o texto revela no final que estava na casa do rei no exílio (ele era copeiro, homem de confiança), mas não esquecia de sua terra, de seu povo. Ele estava bem diante do que vivia no exílio. Ainda assim, sentia o desejo de saber como estavam os outros e mais: como estava Jerusalém. Queria notícias e recebeu. Mas soube que as coisas não estavam bem.

Ele tinha prestígio, a facilidade de trânsito na casa do rei e no reino, por ser uma pessoa de confiança, sua vida não era ruim. Ele poderia ficar com o que tinha e viver feliz. Ainda assim, se preocupou com os outros. E queria que Jerusalém tivesse o destaque que teve no passado. Por isso, ao receber as notícias, ele fica triste, chora, lamenta e ora. Como escrevi, ele poderia deixar pra lá, pois ele estava bem. Mas não pensou apenas em si e sofreu com o sofrimento dos outros em vez de dar atenção para a sua situação pessoal apenas. Mais uma vez vemos um servo do Senhor chateado com uma situação, chorando, lamentando, mas não ficando apenas nisso: já nesse primeiro capítulo ele toma uma primeira atitude, que é orar. Mais uma vez nos deixa claro que a chateação diante de amarguras e problemas é da condição humana. O que não podemos é ficar apenas lamentando sobre a situação, ainda que seja ruim. Temos que tomar uma atitude!

Este texto nos mostra algumas coisas: a preocupação com o outro, ainda que sua própria situação não esteja ruim; o lamento pela situação do outro; a oração pela stuação do outro. Sabemos que Neemias não ficou apenas nisso, foi além. Mas no texto de hoje, paramos na atitude da oração. Essa é a primeira reação que tomamos diante de um problema. Não adianta apenas lamentar ou aceitar a situação ruim. Temos que tomar atitudes e a primeira é a oração. Depois, temos que dar os próximos passos e não nos acomodarmos com qualquer pequena melhora. Sem contar que não devemos apenas nos preocupar com a nossa situação resolvida. Os servos do Senhor nos mostram que muitas vezes eles estavam com as coisas encaminhadas e ainda assim, se preocuparam com os outros que estavam passando por problemas. Neemias não tinha que se preocupar pessoalmente com aquela situação. Poderia simplesmente deixar o passado e as pessoas para trás e seguir na casa do rei! Mas ele se mostra preocupado com o outro e pronto a lamentar, orar e até mesmo a agir em benefício do outro e, claro, em benefício próprio, pois ele poderia até estar bem onde estava, mas ele queria fazer parte da promessa do Senhor e ser ajuntado na terra que Ele escolheu para Seu povo. Estar não apenas no melhor lugar, mas no centro da vontade de Deus. Esse sim é o melhor lugar para vivermos!

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 06/01/09 por e-mail.