Somos chamados para ter Fé

31/12/2008

 

Leia Hebreus 11

Vivemos o último dia de 2008. Em poucas horas, o ano será passado e viveremos as esperanças de um novo ano. Mas, sinceramente, se não tomarmos cuidado com a nossa vida, será apenas uma mudança na folhinha, onde muitos vão errar ao datar cheques ou cartas. Este tempo que o próprio calendário nos oferece como oportunidade de mudança, deve ser aproveitado para alterar algumas coisas que precisam de ajustes. Alterar o que está errado ou fazendo mal pode ser mais importante e torna-se imperativo fazer tal. Mas há aquilo que faz bem e que pode até estar certo, mas ainda assim pode ser melhor. Vale a pena mudar também!

Quando leio o texto de Hebreus 11 vejo muitos que vivenciaram sua fé e que viram grandes eventos da parte de Deus. Mas insisto em um ponto que escrevi ontem, sobre Esdras especificamente, e que agora amplio para os Heróis da Fé:

Ler a história depois do ocorrido dá um ar de "santidade" e certa "facilidade". Até mesmo nos momentos que notamos as dificuldades, temos a impressão que nem foi tão sério assim. Abraão, o pai da fé, teve medo de morrer por conta da formosura de sua esposa. Moisés, ao fugir do Egito, poderia ter morrido. O seu chamado mostra a situação humana diante de sua inquietação sobre fazer ou não a obra. Há muitos exemplos que precisamos observar e ter claro: o coração acelerou, a preocupação bateu e alguns até enfrentaram dificuldades.

Hoje em dia se acha que se apresentamos preocupações é porque não temos fé. Medo então... O problema não é sentir isso! Esses sentimentos são naturais da condição humana e até sem notar podemos entrar por esse caminho. O problema é dar mais atenção ao medo ou a qualquer preocupação do que devemos realmente dar. O medo e a preocupação não podem nos impedir de seguir e buscar a realização da vontade do Senhor, por fé. Se olharmos para o medo ou para a preocupação, podemos desistir ou ir muito devagar no que temos que fazer. Mas por fé, passamos por cima do medo ou da preocupação, entregando isso ao Senhor, crendo que Ele fará o melhor em nós e através de nós. Mesmo que as circunstâncias sejam desfavoráveis, se o Senhor chamou você para algo, saiba que você deve fazer a obra, por fé, sabendo que no tempo certo as coisas estarão em ordem.

E ao passar por problemas ou dificuldades? Há alguns que defendem maldições hereditárias, presença de pecados ou falta de fé. Sobre maldição hereditária, eu não posso negar o que a Bíblia diz. E, exatamente por isso, não posso negar que o inimigo tente causar problemas a várias gerações de uma mesma família com um problema igual. Agora, a mesma Bíblia revela que Jesus se fez maldito ao ir para a cruz (Gálatas 3.13). Ele levou o castigo, o pecado, a maldição, essas coisas que estavam sobre mim. Tenho que tomar posse dessa verdade. Muitos tomam posse de bênçãos materiais que o Senhor pode ou não ter dado. Mas não tomam posse dessa bênção espiritual: Jesus levou sua maldição! Os encontros para "quebra de maldição" deveriam ser apenas encontros de estudos de crescimento espiritual, de busca de santidade, um discipulado, para auxiliar cada um a entender essa verdade: a maldição que estava sobre mim (qualquer maldição) foi levada por Jesus.

Sobre estar em pecado, há casos que é assim mesmo. Não podemos negar que alguns precisam passar por processos mais dolorosos do ponto de vista humano para entender a verdade. Alguns usam a expressão "ou vem pelo amor ou pela dor". Eu, pessoalmente, entendo que é ou pelo amor ou pelo amor mesmo. Até passar por dificuldades para "abrir os olhos" é manifestação de amor, pois o Senhor está dando mais uma chance para a pessoa se acertar. Agora, não podemos definir que qualquer pessoa que esteja passando por problemas é porque tem pecado. Há casos em que o Senhor apenas quer mostrar a Sua glória, auxiliando a pessoa a sair daquela situação (por exemplo João 9.1-3), ou está moldando o caráter da pessoa para uma realização (como foi com José, por exemplo - Gênesis 37 - 50).

E falta de fé... Pode ser, não posso negar que uma pessoa pode realmente vacilar em sua fé e não conseguir ver as coisas se acertarem. Mas não dá para generalizar. Mateus 15.21-28 mostra a história de uma mulher que tinha fé e ainda assim teve que insistir muito para mostrar a sua fé e alcançar o que precisava. Se ela não tivesse fé desde o começo que poderia alcançar a resposta positiva ao seu pedido, ela nem teria começado a busca. Além de começar, teve que insistir durante algum tempo. Muitos desistem logo na primeira crise. Mas seguindo o exemplo daquela mulher, se cremos que o Senhor pode fazer ou ainda, que Ele mesmo nos deixou claro que é o caminho a seguir, não podemos desistir diante de dificuldades. Devemos seguir em frente.

Muitos buscam a fé quando estão em dificuldade e quando as coisas se acertam, largam as coisas para lá. Mas há aqueles que declaram sua fé quando as coisas estão em ordem e no menor sinal de dificuldade, vacilam naquela que parecia ser uma fé inabalável. Os dois casos não são bons. Afinal, buscar a fé quando tem problemas pode gerar em nós a falsa ilusão que podemos buscar quando temos dificuldades apenas. Há alguns que se convertem em momentos assim e entendem que devem buscar o tempo todo, em bons ou em maus momentos. Mas há aqueles que só buscam no meio da crise e abandonam depois que as coisas se acertam. E os que estão cheios de fé sem problemas e vacilam diante dos mesmos, podem acabar abandonando definitivamente a fé, por não ter profundidade no Evangelho para enfrentar o "dia mal" (Efésios 6.13). Alguns podem colocar as bases da fé genuína, mas muitos casos mostram que a fragilidade da fé pode causar mais desistências que o contrário.

É muito importante termos fé! Não para termos nossos desejos atendidos por Deus como se Ele fosse o "gênio da lâmpada", mas para crescer em comunhão com os irmãos, divulgando a fé e compartilhando uns com os outros aquilo que o Senhor fez e é. Para criarmos as raízes necessárias para o crescimento de nossa estatura cristã. Confiar que o Senhor pode fazer e crer que Ele está no controle, qualquer que seja a situação, a resposta ou o momento. Para que seja assim, temos que viver de forma a agradar ao Senhor. Buscar Sua vontade, a santidade, o crescimento espiritual. Dessa forma, podemos fundamentar a nossa fé com base sólida e não apenas em realizações, em respostas ao que oramos ou diante de necessidades. A fé vai além de esperar o que o Senhor pode fazer: a fé nos leva a buscar o Senhor que pode fazer e não apenas o que Ele pode fazer. A busca muda: não buscamos apenas a bênção, mas Aquele que pode nos abençoar.


Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

 

Esta meditação foi enviada em 31/12/08 por e-mail.