Salmo 94

30/10/2008

 

Apelo para a justiça de Deus

1 Ó Senhor, Deus da vingança, ó Deus da vingança, resplandece!
2 Exalta-te, ó juiz da terra! Dá aos soberbos o que merecem.
3 Até quando os ímpios, Senhor, até quando os ímpios exultarão?
4 Até quando falarão, dizendo coisas arrogantes, e se gloriarão todos os que praticam a iniquidade?
5 Esmagam o teu povo, ó Senhor, e afligem a tua herança.
6 Matam a viúva e o estrangeiro, e tiram a vida ao órfão.
7 E dizem: O Senhor não vê; o Deus de Jacó não o percebe.
8 Atendei, ó néscios, dentre o povo; e vós, insensatos, quando haveis de ser sábios?
9 Aquele que fez o ouvido, não ouvirá? Ou aquele que formou o olho, não verá?
10 Porventura, aquele que disciplina as nações, não corrigirá? Aquele que instrui o homem no conhecimento,
11 o Senhor, conhece os pensamentos do homem, que são vaidade.
12 Bem-aventurado é o homem a quem tu repreendes, ó Senhor, e a quem ensinas a tua lei,
13 para lhe dares descanso dos dias da adversidade, até que se abra uma cova para o ímpio.
14 Pois o Senhor não rejeitará o seu povo, nem desamparará a sua herança.
15 Mas o juízo voltará a ser feito com justiça, e hão de segui-lo todos os retos de coração.
16 Quem se levantará por mim contra os malfeitores? Quem se porá ao meu lado contra os que praticam a iniquidade?
17 Se o Senhor não tivesse sido o meu auxílio, já a minha alma estaria habitando no lugar do silêncio.
18 Quando eu disse: O meu pé resvala; a tua benignidade, Senhor, me susteve.
19 Quando os cuidados do meu coração se multiplicam, as tuas consolações recreiam a minha alma.
20 Pode, acaso, associar-se contigo o trono de iniquidade, que forja o mal tendo a lei por pretexto?
21 Acorrem em tropel contra a vida do justo e condenam o sangue inocente.
22 Mas o Senhor tem sido o meu alto retiro, e o meu Deus, a rocha do meu refúgio.
23 Ele fará recair sobre eles a sua própria iniquidade, e os destruirá na sua própria malícia; o Senhor, nosso Deus, os destruirá.


Vemos o salmista inquieto com a situação de pessoas que estão sendo injustiçadas, de pessoas que estão passando por problemas quer por falta de ajuda de quem poderia ajudar, quer por serem objeto de calúnia. Fica parecendo muitas vezes que quem faz a coisa errada de se dá bem e que quem faz a coisa certa, passa por problemas. É dessa forma que fica parecendo que o caminho do ímpio é mais tranquilo. Mas não podemos nos esquecer que a aparência de coisa boa nem sempre é de fato algo bom. E a aparência de algo ruim, nem sempre é assim. Ou alguém acha que foi bom o que José passou no Egito (Gênesis 37 - 50)? No entanto, o que parecia algo muito ruim, era algo muito bom para ele e sua família. E os seus irmãos que acharam que ficariam bem se tivessem a chance de se livrar dele, quando o reencontram deixam claro que o que parecia que seria bom, foi muito ruim.

Neste salmo, vemos atenção especial para viúvas, estrangeiros e órfãos. Antigamente, essas categorias eram muito desamparadas, por isso havia leis específicas na tentativa de diminuir os problemas passados por quem se enquadrava numa dessas situações. Se parentes próximos faltassem, essas pessoas passavam por muitos problemas. Aí, muitas vezes quem era ímpio tinha suas coisas em ordem e quem passava por isso, ainda que justo, passava por problemas.

Como o Senhor conhece a cada um, não importa o que pareça bom ou ruim nos dias que vivemos. O que importa é a eternidade. Podemos passar por aflições hoje e quem faz coisas erradas parece que tem mais facilidades. Insisto: as dificuldades muitas vezes podem apontar para momentos diferentes no futuro, mostrando que não eram complicações, mas preparadores para o melhor do Senhor para nossa vida e para de outras pessoas. E a aparente situação boa de alguns, pode ser na verdade apenas aparência mesmo! E levando isso em conta, o melhor mesmo é obedecer a vontade do Senhor, pois isso aponta para a eternidade. As dificuldades que passamos não são nada, pois por mais complicadas que sejam, teremos a força e a direção do Senhor, quando seguirmos a Sua vontade.

Mesmo esperando pela eternidade, ainda assim o salmista nos deixa claro que devemos olhar para situações ao nosso redor, mesmo no meio da dificuldade, para notarmos o apoio e o cuidado do Senhor. Ele observa isso, por exemplo, na proteção do Senhor no meio da dificuldade, guardando a vida e a fé. Da mesma forma, devemos conseguir observar, ainda que no meio de dificuldades, o cuidado do Senhor nas situações que nos cercam. Assim, podemos ter a força necessária para enfrentar as dificuldades e até mesmo as injustiças.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 30/10/08 por e-mail.