Salmo 90

25/09/2008

 

A eternidade de Deus e a transitoriedade do homem
Oração de Moisés, homem de Deus

1 Senhor, tu tens sido o nosso refúgio de geração em geração.
2 Antes que nascessem os montes, ou que tivesses formado a terra e o mundo, sim, de eternidade a eternidade tu és Deus.
3 Tu reduzes o homem ao pó, e dizes: Voltai, filhos dos homens!
4 Porque mil anos aos teus olhos são como o dia de ontem que passou, e como uma vigília da noite.
5 Tu os levas como por uma torrente; são como um sono; de manhã são como a erva que cresce;
6 de manhã cresce e floresce; à tarde corta-se e seca.
7 Pois somos consumidos pela tua ira, e pelo teu furor somos conturbados.
8 Diante de ti puseste as nossas iniquidades, à luz do teu rosto, os nossos pecados ocultos.
9 Pois todos os nossos dias vão passando na tua indignação; acabam-se os nossos anos como um suspiro.
10 A duração da nossa vida é de setenta anos; e se alguns, pela sua robustez, chegam a oitenta anos, a medida deles é canseira e enfado; pois passa rapidamente, e nós voamos.
11 Quem conhece o poder da tua ira? E a tua cólera, segundo o temor que te é devido?
12 Ensina-nos a contar os nossos dias de tal maneira que alcancemos corações sábios.
13 Volta-te para nós, Senhor! Até quando? Tem compaixão dos teus servos.
14 Sacia-nos de manhã com a tua benignidade, para que nos regozijemos e nos alegremos todos os nossos dias.
15 Alegra-nos pelos dias em que nos afligiste, e pelos anos em que vimos o mal.
16 Apareça a tua obra aos teus servos, e a tua glória sobre seus filhos.
17 Seja sobre nós a graça do Senhor, nosso Deus; e confirma sobre nós a obra das nossas mãos; sim, confirma a obra das nossas mãos.


Este é atribuído a Moisés, como uma oração. Possivelmente durante o tempo de peregrinação pelo deserto.

Se é assim, vemos Moisés declarando que o Senhor é refúgio. Independente da situação de andar pelo deserto, mesmo que com limitações, Moisés sabe que é melhor estar nessa situação, confiando no Senhor, do que seguir no Egito, com opressão. As limitações humanas são nada quando podemos confiar no Senhor.

Diante desse quadro, podemos confiar no Senhor a tal ponto que, ainda que as dificuldades se levantem, logo não serão lembradas e passarão rápido. Elas podem surgir, mas em pouco tempo o Senhor dará a solução, dará no mínimo a força para enfrentar a dificuldade. Assim, não adianta "perder tempo" remoendo a dificuldade. Ela estará diante de nós, mas vale a pena exercitar a fé, crendo que do Senhor virá a solução.

Este salmo é mais um que fala sobre pecados ocultos. Aqueles pecados que cometemos e que nem temos conhecimento. Devemos tomar cuidado com esses também. Pessoalmente, recomendo que busquemos no Senhor a orientação para que tomemos conhecimento desses pecados, para que possamos deixá-los!

Moisés reconhece a fraqueza humana e quer no Senhor o melhor. Quer seja por dificuldades ou até mesmo pela incapacidade de reconhecer o melhor. Devemos buscar no Senhor o melhor para o nosso viver, pois Ele pode nos dar esse melhor e nos orientar para vivermos da melhor forma. Aprender a contar nossos dias para alcançar corações sábios quer dizer isso: saber o melhor! E do Senhor vem  melhor.

Não importa a dificuldade. Podemos confiar no Senhor. Ainda que tenhamos que vivenciar essas dificuldades, Nele teremos a força para enfrentar. E podemos confiar que Ele nos dará sempre o melhor, ainda que no meio da crise. Não devemos dar mais ênfase ao problema, que estará diante de nós, mas na certeza que podemos confiar no Senhor. Ele nos ajudará a ver o melhor, mesmo no meio das crises. Afinal, quando passamos por um problema, podemos nem ver soluções! No Senhor temos o melhor: quer seja a solução do problema, a força para enfrentar e a libertação. Por isso, ainda que abatidos por um problema, devemos buscar sabedoria no Senhor, deixando o erro, o pecado, para buscarmos sempre da melhor forma na presença do Senhor.

 

Forte abraço.
Em Cristo,
Ricardo, pastor

Esta meditação foi enviada em 25/09/08 por e-mail.